1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Anastasia anuncia saída do governo de Minas para atuar na campanha de Aécio

Marcelo Portela - O Estado de S. Paulo

18 Março 2014 | 13h 07

Governador deixa executivo estadual em abril para contribuir na elaboração de programa de governo do PSDB à Presidência

BELO HORIZONTE - O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), confirmou nesta terça-feira (18) que deixará o cargo em 4 de abril. O tucano, que é cotado para disputar uma vaga no Senado nas eleições de outubro, vai integrar a equipe que elaborará o programa de governo a ser apresentado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) em sua provável candidatura presidencial. O governo mineiro será assumido pelo vice Alberto Pinto Coelho (PP).

Apesar de a data em que Anastasia renunciará ao cargo estar dentro do prazo de desincompatibilização para aqueles que vão disputar as eleições de outubro, o governador não confirmou a participação no pleito e disse que o objetivo é apenas ficar "disponível para uma eventual candidatura". "Ninguém é candidato de si mesmo. O candidato, especialmente em uma chapa majoritária, decorre de uma composição de forças políticas. Já indicamos do nosso grupo o candidato a governador, o cabeça da chapa, (ex) ministro Pimenta da Veiga", afirmou.

A direção do PSDB mineiro tenta articular com o PSB a composição de uma chapa com um candidato socialista ao Senado, para permitir um palanque duplo em Minas para Aécio e também para a provável participação do presidente nacional do PSB, o governador Eduardo Campos (PE), na corrida presidencial de outubro. "Ele (Pimenta da Veiga) foi indicado através de uma conversa longa com diversos partidos. Agora, vai haver o resto da chapa. Isso também decorrerá de uma conversa. Não está ainda fechado", disse Anastasia.

Um dia antes de deixar o cargo, o tucano vai exonerar todo seu secretariado para que Alberto Pinto Coelho possa formar sua equipe. O vice-governador pretendia participar da eleição para o governo mineiro. Mas Aécio definiu o nome de Pimenta para acabar com a disputa interna no PSDB e com aliado para a indicação ao cargo.

Eleições 2014