Amazonas é Estado mais atrasado no Luz para Todos

Relatório aponta que logística e clima da região atrapalham as instalações

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h54

Relatório do Ministério de Minas e Energia aponta que o Amazonas é o Estado mais atrasado no cronograma de instalação do Luz para Todos no Brasil. Até hoje, apenas 14.314 famílias foram beneficiadas das 81 mil de meta até 2008. O Ministério de Minas e Energia, segundo informações de sua assessoria, não tem especificado por município a quantidade de famílias beneficiadas. Uma fonte do Ministério, com base em relatórios internos em circulação desde maio, informou que a causa apontada é a logística para chegar material de trabalho e o clima da região que atrapalham as instalações. Prefeitos ouvidos pela reportagem, contudo, reclamam que a empresa que venceu a licitação para atender a maioria dos municípios que constam no cronograma do governo dos 62 municípios do Amazonas, a Eran, não teria estrutura para ser responsável pela instalação da rede de eletrificação rural. A empresa Manaus Energia atendeu até agora, segundo site da empresa, 4.600 famílias na capital e a Centrais Elétricas do Amazonas (Ceam) 9.714 no interior. A reportagem tentou falar com a Ceam e a empresa Eran, responsável pela instalação da rede no interior, mas não obteve resposta. "Simplesmente a Eran não tem estrutura para atender ao interior. As poucas máquinas que mandaram para cá estão paradas, nem funcionários têm", reclama o prefeito de Apuí, Antônio Roque Longo (PMDB), município que fica a 220 quilômetros de Manaus. Segundo o prefeito, desde 2005 apenas 105 famílias foram beneficiadas com o programa. "Temos 25 mil habitantes no município e pelo menos 8 mil vivem no escuro". Poucos avanços De acordo com o secretário de Administração de Boa Vista do Ramos), Dilmar Erichfranke, até hoje foram 29 quilômetros de rede instalada atendendo a 700 famílias. "A meta, segundo o governo federal, é que 3 mil sejam beneficiadas, mas a esse passo de tartaruga acho impossível". O município, que fica a 270 quilômetros de Manaus, tem 13,6 mil habitantes e 40% não têm energia elétrica em suas casas, segundo o secretário. "Até hoje não temos nenhuma família beneficiada com o programa Luz para Todos no município. Aliás, por dois anos seguidos teve gente do governo federal aqui fazendo levantamento, mas nunca retornaram com ação", afirmou o prefeito de Anamã, Luiz Guedes (PMDB), município a 168 quilômetros de Manaus. Segundo o prefeito, ainda vivem à luz de velas e candeeiros pelo menos 40% dos 7 mil habitantes de Anamã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.