1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Alves critica decisão do TSE sobre vagas na Câmara

DAIENE CARDOSO - Agência Estado

28 Maio 2014 | 12h 29

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse ter se surpreendido com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de redefinir as vagas de 13 Estados na Câmara dos Deputados. O peemedebista ressaltou que a medida provocou uma "insatisfação muito grande" e "mal-estar" entre os poderes.

"Me surpreendeu uma medida dessa. Se tivesse conversado conosco antes, aberto um diálogo, mas tomada assim de repente, sem noção do que aconteceria, cria realmente um mal-estar e vamos ver qual providencia vamos tomar", afirmou o presidente ao chegar no Congresso na manhã desta quarta-feira, 28.

Alves disse que conversará com o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), e que pedirá um encontro "urgente" com o presidente do TSE, ministro José Antonio Dias Toffoli, com quem garantiu ter uma "boa relação".

Nesta terça, 27, o TSE ratificou uma resolução baixada pela Corte em abril do ano passado. Em dezembro de 2013, um decreto legislativo promulgado pelo Congresso havia suspendido os efeitos desta resolução.

Apesar de manter as 513 cadeiras na Câmara, o TSE passou a considerar os dados do Censo de 2010 do IBGE para estipular o número de cadeiras que cabe a cada unidade da Federação. Assim, a partir da próxima legislatura, oito Estados perderão cadeiras na Câmara dos Deputados e cinco ganharão. Alagoas, Espírito Santo, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraíba e Piauí terão menos representantes. Amazonas, Santa Catarina, Ceará, Minas Gerais e Pará ganharão novas vagas. A decisão também deverá provocar alterações na composição das Assembleias Legislativas. O Congresso poderá recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a mudança.

"Houve decisão do Congresso. Há um decreto legislativo que entendíamos que era o caminho e que resolvia o problema. De repente, sem conversa prévia, toma essa decisão? Vou conversar com o ministro Toffoli, que é pessoa que tem bom diálogo com o Legislativo, para acordarmos. Foi uma insatisfação muito grande essa decisão", reclamou Alves.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo