1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Aloysio Nunes diz que objetivo do governo é impedir CPI

RICARDO BRITO - Agência Estado

01 Abril 2014 | 18h 22

O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), rebateu em plenário o questionamento feito pouco antes pela senadora e ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffman (PT-PR) de impugnar a criação da CPI da Petrobras por supostamente não ter fato determinado. Para o tucano, o objetivo da base aliada é impedir a criação da comissão parlamentar.

Gleisi disse que o requerimento da CPI apresentado pela oposição pretende fazer uma "verdadeira devassa" na estatal. O líder do PSDB disse que, em vez de apenas um, os oposicionistas apresentaram quatro fatos determinados. A leitura do requerimento de criação foi feita pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) em plenário. Os senadores têm até meia-noite do dia de hoje para retirar ou acrescentar assinaturas. A CPI do Senado tem, no momento, 29 assinaturas, duas a mais que o mínimo necessário.

O tucano questionou se o Senado vai "tapar o sol com a peneira", uma vez que é função do Parlamento externar as preocupações do povo brasileiro. "Na falta de um objeto claro, determinado, que é o requisito constitucional, nós temos quatro que são absolutamente delimitados", afirmou.

O líder do PSDB disse que a proposta de Gleisi tem por objetivo acabar com o instrumento das CPIs. "Seria o fim do instituto da CPI, do instituto da minoria", afirmou. Ele citou uma série de casos em que CPIs foram instaladas com fatos conexos, como a CPI da Petrobras de 2009.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que vai responder ao questionamento feito por Gleisi amanhã.