1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

Aloysio diz que 'ódio' é único discurso do PT

ERICH DECAT, RICARDO BRITO E DÉBORA BERGAMASCO - Agência Estado

30 Junho 2014 | 13h 17

Em seu primeiro discurso após ser escolhido vice do candidato do PSDB Aécio Neves à Presidência, o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) disse nesta segunda-feira, 30, que o "ódio" é o único discurso do PT. "Tenho o couro duro. Mas o ódio é contraproducente para quem se utiliza dele como arma política. Parece que não sobra ao PT, não sobra à presidente Dilma nenhum outro argumento a oferecer a não ser este, uma vez que ela não tem mais nada de novo e de relevante para oferecer ao Brasil", afirmou o tucano. Em discursos recentes, o ex-presidente Lula tem acusado a oposição de pregar o ódio contra o PT. As investidas contra o partido, segundo Lula, teria como origem, além dos opositores, "a elite conservadora e a imprensa".

Ungido por unanimidade pela Executiva Nacional do PSDB, Aloysio Nunes reconheceu ter pisado numa "casca de banana" após ter sido vítima do que considera como "provocação insolente" no início de maio. Na ocasião, ele xingou, nos corredores do Senado, uma pessoa que o questionou sobre o suposto envolvimento com o cartel de Metrô de São Paulo. "Alguém que estava lá apenas para atirar uma casca de banana no meu caminho, eu pisei nessa casca de banana", afirmou, ao dar o episódio como encerrado.

Aécio Neves negou que a escolha de Aloysio tenha ocorrido devido ao fracasso do PSDB de buscar aliança com outros partidos políticos. "Ao contrário, jamais nós buscamos aliança que negociasse qualquer posto no governo. O que houve foram manifestações explícitas de outros partidos políticos de disposição e vontade pessoal de participar da nossa chapa", disse, ao destacar que a coligação do partido contará com sete legendas.

O presidenciável do PSDB fechou a aliança com DEM, PTB, Solidariedade, PMN, PTdoB e PTC. Os acordos devem lhe render cerca de quatro minutos na propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

Além da escolha de Aloysio Nunes, que conquistou 11,1 milhões de votos nas últimas eleições para o Senado em São Paulo, Aécio Neves fez questão de exaltar que o PSDB está "mais unido do que nunca" ao citar o ex-adversário dentro do partido José Serra. Aécio disse que Serra talvez seja hoje um dos interlocutores mais próximos que tem dentro da legenda. Antes do anúncio de Aloysio, que é ligado a Serra no PSDB, o presidenciável disse ter conversado com o ex-governador.

Ao anunciar a decisão, Aécio destacou que Aloysio está preparado para servir ao Brasil "em qualquer eventualidade".

Ceará

Com a definição de Aloysio na vice, o ex-governador do Ceará, o empresário Tasso Jereissati, será candidato ao Senado na chapa comandada pelo senador Eunício Oliveira (PMDB), candidato ao governo local. Tasso era um dos cotados para ser vice de Aécio.

Questionado se vai subir no palanque de Eunício Oliveira, Aécio desconversou. "O meu palanque é Tasso Jereissati. Com a dinâmica da campanha, nós vamos saber qual caminho seguir".

Eleições 2014