1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mensalão mineiro

Alckmin segue discurso do PSDB e diz que renúncia de Azeredo foi 'pessoal'

Caio do Valle - O Estado de S. Paulo

20 Fevereiro 2014 | 17h 27

Governador de São Paulo comentou o caso pela primeira vez e tentou afastar influência de episódio na campanha eleitoral

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta quinta-feira, 20, que a renúncia do deputado federal e ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) é um "ato pessoal". Alckmin foi questionado sobre eventual influência da renúncia de Azeredo na futura campanha presidencial do senador tucano Aécio Neves.

"Essa renúncia dele é um ato pessoal. Acho que cabe a ele justificar", afirmou Alckmin durante agenda na cidade de Santo André, no ABC paulista. A postura do governador de São Paulo segue o posicionamento que o PSDB vem adotando sobre o caso, de isolar Azeredo.

Mensalão mineiro