Alckmin quer concluir secretariado na próxima semana

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse hoje que pretende encerrar a escolha dos secretários estaduais na próxima semana, quando serão definidos os nomes indicados por partidos aliados que ocuparão as pastas remanescentes. "Agora nós vamos iniciar uma parte que é importante, mas que envolve também outros partidos", afirmou o tucano, durante o anúncio de três novos secretários de seu governo, no escritório da transição, na capital paulista.

ANNE WARTH, Agência Estado

17 Dezembro 2010 | 18h35

"Vamos ter conversas e entendimentos para que a gente possa ter um time unido e com a melhor competência para poder servir e trabalhar em benefício do Estado. Na próxima semana, vamos avançar o máximo que pudermos", disse. O tucano confirmou os nomes da procuradora Eloisa de Sousa Arruda para a Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, do deputado federal Silvio Torres (PSDB-SP) para a Secretaria da Habitação, o atual reitor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Herman Voorwald, para a Secretaria da Educação.

O governador eleito evitou entrar em polêmica com o atual titular da Educação, Paulo Renato Souza, que teria pedido demissão ontem por não concordar com o processo de sucessão da pasta. Alckmin disse que Paulo Renato é um dos melhores nomes da educação de São Paulo e do País. "Vamos dar continuidade aos programas da secretaria e avançar mais", afirmou.

Alckmin comparou a substituição de Paulo Renato por Herman Voorwald a uma "corrida de revezamento", em que cada um cumpre uma etapa. Disse ainda que o Estado vai manter a política de progressão continuada na educação e de avaliações de metas para os professores.

Alckmin negou que a procuradora Luiza Eluf seria a escolhida para ocupar a Secretaria da Justiça. "A última vez que a vi foi durante a campanha. É um ótimo nome, mas talvez tenha havido confusão entre Eloisa e Luiza, duas procuradoras de Justiça. É um ótimo nome", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
transição SP Geraldo Alckmin secretariado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.