1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Alckmin ironiza Lula e diz que ele está 'sitiado'

- Atualizado: 28 Fevereiro 2016 | 15h 59

Governador de São Paulo rebate falas do ex-presidente que afirmou na noite de sábado, durante aniversário do PT, que a oposição não iria 'destruí-lo'

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

São Paulo - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) ironizou neste domingo, 28, as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva feitas na noite de sábado durante a festa de aniversário do PT, no Rio de Janeiro. O ex-presidente disse que a oposição não iria destruí-lo, afirmou que os petistas “não podem levar desaforo para casa” e que acabou a fase “Lulinha paz e amor”

“O Lula paz e amor vai ser outra coisa daqui para  frente”, disse o petista, diante de uma plateia de cerca de 1.500 pessoas, metade do esperado pela organização da festa. “Eu queria dizer para eles: vocês não vão me destruir, vamos sair mais fortes dessa luta", avisou aos adversários. O ex-presidente afirmou ainda estar “acabrunhado” e “de saco cheio” com as investigações que sofre do Ministério Público de São Paulo e na Operação Lava Jato.

Neste domingo, ao sair de uma escola no Morumbi onde votou nas prévias do PSDB que definirão o candidato tucano na capital, Alckmin fez um trocadilho com a polêmica envolvendo o sítio frequentado por Lula e sua família. “Lula está sitiado”. 

O Ministério Público investiga se Lula foi beneficiado por construtoras na reforma de um sítio em Atibaia, utilizado por ele e por familiares. 

Mais cedo, o tucano declarou publicamente pela primeira vez que apoia o empresário João Doria nas prévias do PSDB que definirão o candidato do partido na cidade.

Acompanhados por um séquito de assessores e aliados, Alckmin e Doria foram juntos a um colégio no Morumbi onde o governador votou. Em seguida foram ao Butantã, onde vota o empresário. "Sem demérito para os demais candidatos, o meu voto vai para o João Doria. Ele traz uma experiência do setor privado. São Paulo está precisando dar uma acelerada".

Pré-candidato à Presidência em 2018, Alckmin aproveitou a ocasião para defender que o PSDB também realize prévias para definir o tucano que disputará o Palácio do Planalto". "É possível, é necessário e importante (que o PSDB faça prévias nacionais). Veja no modelo americano a importância das primárias".

O tucano minimizou a disputa fratricida que marcou as prévias. "Torcida e disputa fazem parte do processo. Apoiarei com entusiasmo o vencedor".

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX