Alckmin garante obra do monotrilho no Morumbi

O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou hoje que a construção da Linha Ouro do Metrô de São Paulo, que deve ligar o Estádio do Morumbi ao Aeroporto de Congonhas por meio de monotrilho, será feita. O projeto sofreu um revés ontem, após a 3ª Vara da Fazenda Pública suspender, em caráter liminar, a assinatura do contrato e a homologação da licitação. "Vou procurar verificar qual é a razão (da medida liminar). Se houver algum problema, vamos adequar às necessidades que o Ministério Público possa ter", afirmou.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agência Estado

04 Dezembro 2010 | 15h11

A juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 3ª Vara da Fazenda Pública, atendeu um pedido da Associação Sociedade dos Amigos de Vila Inah, que reclamam da alteração da paisagem dos bairros por onde passará a monotrilho, além da desvalorização financeira e urbanística dos imóveis. Para obter a liminar, os advogados da associação de moradores alegaram que o projeto não respeita a lei federal de licitações ao não incluir no processo a licença ambiental da obra nem o projeto básico da construção, conforme prevê o artigo 7.º da Lei n.º 8.666.

Alckmin garantiu que a obra será feita e que é "extremamente importante" para a cidade. "Ela independe da realização da Copa do Mundo. Vai interligar a linha norte-sul do Metrô o aeroporto de Congonhas e o estádio do Morumbi", ressaltou.

Mais conteúdo sobre:
monotrilho metrô Geraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.