1. Usuário
Assine o Estadão
assine


'Alckmin é ingrato porque foi do PMDB', diz Skaf

RENE MOREIRA, ESPECIAL PARA A AGÊNCIA ESTADO - Estadão Conteúdo

30 Agosto 2014 | 17h 38

Paulo Skaf, candidato do PMDB ao governo de São Paulo, esteve na tarde deste sábado (30) visitando a Festa do Peão de Barretos. Em entrevista, ele criticou o programa do eleitoral gratuito na televisão do PSDB por ataques feitos à sua candidatura. "O governador Geraldo Alckmin é ingrato, porque ele foi 16 anos do PMDB", afirmou. Depois, ainda completou: "Esse PMDB que ele fala de 20 ou 30 anos atrás é o PMDB dele, onde ele foi eleito vereador, prefeito e deputado. O PMDB do Skaf começa agora".

Ele alegou ainda que as críticas que têm sido feitas à sua candidatura são falsas, como a de que o ex-governador Luiz Antônio Fleury Filho seria o coordenador de sua campanha. "Fleury não é coordenador e nem chefe da minha campanha. Ele coordena uma das áreas e é um colaborador, assim como centenas de outros que querem mudar São Paulo", justificou.

Skaf também falou sobre o apoio de seu partido à candidatura de Dilma Rousseff (PT). Questionado se essa insistência sua em se manter longe dos petistas é estratégica, porque em São Paulo o partido da presidente tem muita rejeição, ele negou. "Não é uma questão de ser bom ou mau negócio, até porque não estamos fazendo negócio. A questão é que o PT é meu adversário", respondeu se referindo ao fato de o partido também ter um candidato a governador.

Indagado sobre em quem votará para presidente no dia 5 de outubro, Skaf deixou claro que será em Dilma, mas por questão partidária. "O meu voto pessoal... Entre 140 milhões de votos, eu voto com meu partido." Ele falou ainda ficar feliz ao ver que os adversários, como Alckmin, fazem críticas à sua campanha. "Quando os adversários o criticam é porque estão no desespero. E com isso eu estou feliz".

Pesquisa

Paulo Skaf disse que há muitos anos visita Barretos, terra natal de sua mulher, e também a Festa de Peão. Ele acredita que será bem votado na região, assim como no resto do Estado. "Quando o eleitor começou a perceber essa nova opção, nós subimos 9 pontos em uma semana de campanha", falou. De acordo com ele, conforme a campanha for avançando, as pessoas passarão a conhecer mais as suas ideias e a tendência é crescer ainda mais na preferência do eleitorado.