Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Alckmin convoca aliados para dar apoio a João Doria em prévia

Política

Política

PSDB

Alckmin convoca aliados para dar apoio a João Doria em prévia

Governador de São Paulo pede a seu grupo que vote no empresário e apresentador na eleição interna dos tucanos para a escolha do candidato à Prefeitura

0

Pedro Venceslau e Ricardo Chapola ,
O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2016 | 03h00

Até então atuando de forma discreta no processo de prévias do PSDB que definirá o nome do candidato a prefeito do partido na capital, o governador Geraldo Alckmin entrou na campanha e está pedindo a líderes tucanos que apoiem o empresário João Doria Jr. Ao todo, 27 mil filiados estão aptos a votar na disputa interna, que acontecerá no dia 28 de fevereiro. Na prévia de 2012, entretanto, apenas 6.229 militantes compareceram às urnas e escolheram o hoje senador José Serra como candidato. 

O governador não pretende, entretanto, declarar apoio formal a Doria e deve atuar apenas nos bastidores. Além do empresário, estão inscritos no processo o deputado Ricardo Tripoli e o vereador Andrea Matarazzo. 

Entre os militantes históricos do partido que declararam apoio a Doria estão o vice-presidente estadual do PSDB, Evandro Losacco; Fábio Lepique, presidente do diretório da Mooca; José Henrique Reis Lobo, ex-presidente do partido na capital; Julio Semeghini, chefe do escritório do governo de São Paulo em Brasília; Daniel Anenberg, diretor-presidente do Detran e Fernando Capez, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo. O PSDB conta com 58 diretório zonais na cidade. 

“Fui comunicar o governador que iria apoiar o João Doria. Ele disse que concordava, que era um bom nome e que tinha que lutar pela unidade do partido”, disse Losacco, que esteve com Alckmin no início de janeiro. 

“Decidi apoiar o João Doria porque ele representa a novidade e conta com o apoio integral do governador”, afirma Fábio Lepique. Em conversa recente com Alckmin, presidente do diretório da Mooca comunicou que estava tirando férias da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), onde é diretor, e recebeu aval para entrar na campanha. “O governador é a maior liderança política do PSDB, tanto em São Paulo como nacionalmente. Ele é também o maior eleitor do Estado”, diz Doria. 

Segundo o empresário, que é filiado ao partido desde o começo da década, mas nunca teve militância orgânica, a opção de Alckmin por ele é “muito expressiva”. O governador e João Doria têm conversado regularmente sobre as prévias tucanas. 

Adversários. Na campanha pela vaga de candidato do PSDB, Matarazzo recebeu o apoio dos quadros “históricos” do partido em São Paulo. Entre seus aliados estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, os senadores José Serra e Aloysio Nunes Ferreira e o ex-governador Alberto Goldman. Os vereadores da capital também apoiam Matarazzo. Já Tripoli é apoiado pelo deputado Bruno Covas e pelo presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, que é suplente de Serra. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.