1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Alckmin convoca aliados para dar apoio a João Doria em prévia

- Atualizado: 03 Fevereiro 2016 | 03h 00

Governador de São Paulo pede a seu grupo que vote no empresário e apresentador na eleição interna dos tucanos para a escolha do candidato à Prefeitura

Até então atuando de forma discreta no processo de prévias do PSDB que definirá o nome do candidato a prefeito do partido na capital, o governador Geraldo Alckmin entrou na campanha e está pedindo a líderes tucanos que apoiem o empresário João Doria Jr. Ao todo, 27 mil filiados estão aptos a votar na disputa interna, que acontecerá no dia 28 de fevereiro. Na prévia de 2012, entretanto, apenas 6.229 militantes compareceram às urnas e escolheram o hoje senador José Serra como candidato. 

O governador não pretende, entretanto, declarar apoio formal a Doria e deve atuar apenas nos bastidores. Além do empresário, estão inscritos no processo o deputado Ricardo Tripoli e o vereador Andrea Matarazzo. 

Entre os militantes históricos do partido que declararam apoio a Doria estão o vice-presidente estadual do PSDB, Evandro Losacco; Fábio Lepique, presidente do diretório da Mooca; José Henrique Reis Lobo, ex-presidente do partido na capital; Julio Semeghini, chefe do escritório do governo de São Paulo em Brasília; Daniel Anenberg, diretor-presidente do Detran e Fernando Capez, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo. O PSDB conta com 58 diretório zonais na cidade. 

“Fui comunicar o governador que iria apoiar o João Doria. Ele disse que concordava, que era um bom nome e que tinha que lutar pela unidade do partido”, disse Losacco, que esteve com Alckmin no início de janeiro. 

“Decidi apoiar o João Doria porque ele representa a novidade e conta com o apoio integral do governador”, afirma Fábio Lepique. Em conversa recente com Alckmin, presidente do diretório da Mooca comunicou que estava tirando férias da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), onde é diretor, e recebeu aval para entrar na campanha. “O governador é a maior liderança política do PSDB, tanto em São Paulo como nacionalmente. Ele é também o maior eleitor do Estado”, diz Doria. 

Segundo o empresário, que é filiado ao partido desde o começo da década, mas nunca teve militância orgânica, a opção de Alckmin por ele é “muito expressiva”. O governador e João Doria têm conversado regularmente sobre as prévias tucanas. 

Adversários. Na campanha pela vaga de candidato do PSDB, Matarazzo recebeu o apoio dos quadros “históricos” do partido em São Paulo. Entre seus aliados estão o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, os senadores José Serra e Aloysio Nunes Ferreira e o ex-governador Alberto Goldman. Os vereadores da capital também apoiam Matarazzo. Já Tripoli é apoiado pelo deputado Bruno Covas e pelo presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, que é suplente de Serra. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX