1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

Alckmin comemora decisão do PSB-SP de apoiar sua reeleição

Ricardo Chapola - O Estado de S. Paulo

08 Junho 2014 | 16h 33

Governador tucano elogiou o presidenciável do partido, Eduardo Campos, mas não comentou as críticas de Marina Silva

SÃO PAULO - Dois dias depois de o PSB anunciar apoio à sua reeleição, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou neste domingo, 8, ter "grande apreço" pelo pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. O tucano elogiou o ex-governador de Pernambuco ao comentar a decisão do diretório estadual do PSB, que na sexta-feira aprovou por unanimidade um indicativo de apoio ao seu projeto reeleitoral.

A decisão, que sofre resistência da pré-candidata a vice na chapa de Campos, Marina Silva e de seu grupo, a Rede Sustentabilidade, ainda precisa ser confirmada na convenção estadual do PSB, no dia 21 deste mês.

"Fiquei muito feliz com a decisão do PSB de compor a nossa aliança aqui em São Paulo. É uma estima desde a época do ex-governador Mário Covas, da ex-prefeita Luiza Erundina. Ao Eduardo Campos, que foi meu colega quando foi governador... tenho grande apreço por todos", disse Alckmin depois de inaugurar um trecho da marginal da pista Rodovia Ayrton Senna em Guarulhos, na região metropolitana. 

Se confirmada, a aliança entre PSB e PSDB em São Paulo fará com que Campos e Aécio Neves, presidenciável do PSDB, tenham um mesmo palanque no Estado. 

No sábado, por meio de nota, Marina classificou a decisão do diretório estadual como um "equívoco" e disse que se a decisão não for revertida a Rede seguirá "caminho próprio e independente no Estado". Presidente nacional do PSB, Campos, porém, tem dito que não vai intervir para impedir a aliança com o governador tucano. Neste domingo, Alckmin não comentou as declarações de Marina.

O PSB quer a vaga de vice na chapa tucana. O cargo também é cobiçado pelo PSD, do ex-prefeito Gilberto Kassab, único partido que ainda está disponível no mercado de aliados. A legenda, que até então lançaria candidatura própria ao governo paulista, abriu tratativas com Alckmin impondo como condição ficar com o cargo de vice na chapa. 

Neste domingo, Alckmin desconversou sobre ter Kassab na vaga. "Ainda não há uma decisão. Claro que queremos estar juntos. Mas essa decisão só saíra no final de junho", disse o governador.

Eleições 2014