1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Agripino Maia cobra explicações sobre 'rebelião' do IBGE

RICARDO BRITO - Agência Estado

11 Abril 2014 | 15h 21

O presidente do Democratas, senador Agripino Maia (RN), cobrou explicações públicas da direção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o principio de "rebelião" no órgão por conta da suspensão este ano das divulgações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua por causa da revisão da metodologia. Estavam previstas apresentações da pesquisa em junho e setembro, com a disputa eleitoral. O anúncio da suspensão motivou o pedido de exoneração da diretora de Pesquisas do IBGE, Márcia Quintslr. Além disso, coordenadores de pesquisas fundamentais para o instituto divulgaram uma carta em que ameaçam deixar os postos em desagravo a Márcia. O IBGE adiou a divulgação dos dados após questionamentos feitos pelos senadores Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Armando Monteiro (PTB-PE).

A presidente do IBGE, Wasmália Bivar, explicou nesta quinta-feira, 10, que a suspensão da Pnad Domiciliar ocorreu porque o instituto terá de adequar à nova fórmula de cálculo da renda per capital familiar. Isso se deu em razão de uma lei aprovada ano passado que alterou os critérios de distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE). O novo FPE entra em vigor em 2016, mas já a partir de 2015 os dados terão de ser coletados por uma nova metodologia. Para o presidente do DEM, é um fato "gravíssimo" a tentativa de retardar a divulgação de dados. "Isso é a argentinização do IBGE, que foi um órgão que eu acredito. O grande problema do Brasil é credibilidade", criticou. "O instituto é o último baluarte do Brasil em matéria de estatísticas numa economia do tamanho da nossa", completou.

Segundo Agripino Maia, se as explicações da direção do instituto não forem convincentes, será necessário chamar a presidente do órgão para falar ao Congresso. "O fundamental é que, se ela não falar, ela tem que ser chamada a dar explicações", disse. Para ele, ocorrer uma ação que possa resultar numa demissão em massa é algo "anormal".

Ao falar ontem ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, a senadora Gleisi Hoffmann disse que o IBGE ainda não tinha definido o cálculo da renda domiciliar, indicador necessário para o novo FPE. Na sua avaliação, se o instituto continuasse a fazer o levantamento da forma atual, tal medida iria "dar problema". "Não dá para a Pnad continuar a não ter uma única metodologia", ponderou.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo