Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

Aécio Neves minimiza acordo entre PT e PMDB para 2010

'Acredito que vão prevalecer as alianças regionais, os peemedebistas são nossos aliados em muitos Estados'

Luciana Nunes Leal, da Agência Estado,

21 Outubro 2009 | 11h28

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), minimizou nesta quarta-feira a formalização da aliança do PMDB com o PT, anunciada na noite de ontem pelas cúpulas dos dois partidos. "Acredito que vão prevalecer as alianças regionais. O PMDB é nosso aliado em muitos Estados", afirmou Aécio, ao chegar no Riocentro para a abertura do 37º Congresso Brasileiro de Agências de Viagem.  

 

O governador comentou a ação movida pelos partidos de oposição na Justiça Eleitoral contra o que consideram campanha antecipada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante viagem de três dias para visitar obras de transposição do Rio São Francisco.

 

Questionado se o presidente Lula estava em campanha, Aécio disse: "As instituições vão se manifestar. Não acompanhei o presidente. Ele próprio disse que houve comício".

 

Veja também:

linkJantar sela adesão do PMDB a Dilma Rousseff

linkPT e PMDB divulgam termos de pré-compromisso para eleição

 

O governador mineiro afirmou ainda que é preciso cuidado por parte de todos os governantes no período pré-eleitoral. "Todos têm que ter esta cautela. O governo federal não tem situação diferente de outros líderes de governo. Eu tenho tomado muito cuidado para não misturar o que é público e o que é interesse partidário", declarou Aécio.

 

Também participam da abertura do congresso a ministra Dilma, o ministro do Turismo, Luiz Barretto, e o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

Mais conteúdo sobre:
Aécio Neves PT PMDB PSDB eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.