Advogado de Mônica confirma ter recebido ameaça de morte

Ao depor, Calmon diz que recebeu ligação de homem com sotaque nordestino

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h51

O advogado da jornalista Mônica Velloso, Pedro Calmon Filho, confirmou nesta segunda-feira, 18, em depoimento no Conselho de Ética do Senado, que recebeu uma ameaça de morte em seu celular no último dia 9 de junho. Segundo o advogado, uma voz de homem, que ele acredita ter entre 40 e 65 anos, com forte sotaque nordestino, disse: "Olha aqui seu f.d.p. Mande essa mulher (Mônica) parar de falar senão amanhã vocês vão aparecer com a boca cheia de formiga". Calmon Filho disse que fez o registro da ocorrência em seguida e que a Polícia identificou como local da chamada um orelhão localizado em frente a uma padaria na área octogonal da capital federal. Ele disse que há suspeitos, mas não deu maiores detalhes. O advogado iniciou seu depoimento lendo uma declaração de Mônica, em que ela afirma só ter dado entrevistas sobre o caso para esclarecer sobre calúnias que lhe estavam sendo endereçadas. Por meio do advogado, a jornalista negou ter chantageado Renan por conta do caso, como fora publicado na revista IstoÉ. "Senador não reconheceu que estaria sendo chantageado", disse. E afirmou que irá processar a revista e o autor da reportagem. A jornalista diz também que irá ao Supremo Tribunal Federal a fim de interpelar Renan sobre a acusação da revista Ela voltou a dizer que não houve a constituição de um fundo para a educação da filha no valor de R$ 100 mil, e que não tem amizade com o lobista da Mendes Júnior Cláudio Gontijo - "foi apresentada a ele em 2003" -, que fazia os pagamentos mensais à jornalista referentes à pensão da criança e ao aluguel do apartamento onde morava. O Conselho deve ouvir nesta segunda o lobista da Mendes Júnior, Cláudio Gontijo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.