1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mensalao

Advogado de Genoino diz que vai recorrer da decisão de Barbosa

Bernardo Caram - O Estado de S. Paulo

01 Maio 2014 | 17h 46

Ex-presidente do PT se entregou nesta quinta após ordem do presidente do STF para o condenado, que cumpria prisão domiciliar, retornar ao Complexo Penitenciário da Papuda

Brasília - O advogado do ex-deputado José Genoino, Claudio Alencar, afirmou nesta quinta-feira, 1, que vai recorrer ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão do ministro Joaquim Barbosa, que determinou o fim da prisão domiciliar de Genoino. Em entrevista após acompanhar seu cliente no retorno ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, Alencar criticou a ausência de médicos de plantão na penitenciária nesse 1º de maio.

De acordo com o advogado, o médico que atende no complexo está de férias e voltará em aproximadamente 10 dias. "O médico do Genoino tentou passar a ficha e o prontuário, mas não conseguiu", disse.

Ele informou que o médico particular de Genoino ficará à disposição para acompanhar o paciente, mas questionou a falta de profissionais do Estado. "O sistema penitenciário é que deveria prover a todos os internos o atendimento de saúde", completou.

O médico particular de Genoino, Geniberto Paiva Campos, disse que, no momento, ele está muito bem. "Os meses que ele ficou recolhido à sua residência com acompanhamento familiar foram muito bons para ele", disse. Para o médico, entretanto, a cardiopatia de Genoino é "gravíssima" e o sistema penitenciário não é o local adequado para tratar um paciente com esse quadro de saúde.

Campos ressaltou que o ex-deputado fez exames nesta quarta-feira, que demonstraram bom estado de saúde e pressão arterial controlada. Segundo ele, a maior preocupação é a coagulação do sangue, que ainda não está controlada e exige controle na dosagem da medicação.

Tranquilo. Antes de sair de casa para se entregar, de acordo com sua amiga e ex-assessora Débora Cruz, Genoino não demonstrou preocupação com possíveis complicações do seu estado de saúde. "Ele estava bem forte e disse que vai cumprir o que foi determinado", contou.

Genoino foi condenado pelo STF a 4 anos e 8 meses de reclusão pela prática do crime de corrupção ativa. A pena deve ser cumprida em regime semiaberto.

Preso em novembro, após o início da execução das penas dos condenados do mensalão, Genoino ficou menos de um semana no complexo da Papuda. Alegando problemas cardíacos, ele foi transferido para um hospital em Brasília e depois para prisão domiciliar.

Nesta quarta, no entanto, com base em laudo médico que atestou que o quadro de saúde do ex-deputado é estável e não grave, o presidente do STF, Joaquim Barbosa, ordenou que Genoino voltasse à prisão.

Mensalao