1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Acionistas reclamam da compra de Pasadena

SABRINA VALLE - Agência Estado

02 Abril 2014 | 17h 37

O presidente da Associação de Engenheiros da Petrobras (Aepet), Fernando Siqueira, e acionista minoritário da estatal Romano Allegro protestaram nesta quarta-feira contra a compra da refinaria de Pasadena, durante assembleia de acionistas da empresa, realizada nesta tarde. Allegro pediu a responsabilização da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Guido Mantega, na qualidade de ex-presidente e atual presidente, respectivamente, do conselho de administração da Petrobrás.

O acionista protocolou reclamação ontem no Ministério Público Federal (MPF) pedindo as reparações para a companhia. Ele propôs ação coletiva de responsabilidade civil por danos à Petrobras, causado por supostos atos ilícitos de Dilma e Mantega. Também propôs ação civil pública de responsabilidade civil por danos aos acionistas da estatal, em razão de prejuízos sofridos.

Allegro reclamou que a Petrobras não cumpriu decisão arbitral e da Justiça, afastou tardiamente diretores e descumpriu parecer jurídico da própria empresa. "Tudo por decisão do conselho dos quais eram membros os dois representados", disse. "É óbvio que ninguém gastaria quase US$ 400 milhões de seu próprio bolso para comprar um produto qualquer que, além de valer apenas US$ 21,5 milhões, não passou sequer por uma avaliação séria", disse, acusando ter havido falha no "dever de diligência" de administradores, previsto no estatuto da empresa.

Siqueira disse que a "suspeita de que a compra foi mal feita e que foi pago preço superior ao real não foi esclarecida". Segundo ele, o escândalo foi requentado pela nota da presidente Dilma Rousseff do mês passado, confirmando que aprovou a compra, mas por ter sido mal assessorada sobre o assunto. "Demitiu o diretor, como se isso resolvesse", disse. Foram afastados dos cargos o presidente da Petrobras Americas, Orlando Azevedo, e o ex-diretor Internacional, Nestor Cerveró, que ocupava até o mês passado diretoria na BR.