1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Vídeo de Lula em apoio a candidata do PT é editado para pedir votos em Marina Silva

João Domingos e Ricardo Galhardo - O Estado de S. Paulo

28 Agosto 2014 | 16h 11

Gravação publicada no YouTube altera fala de ex-presidente, que se referia a homônima de candidata do PSB concorrente ao Senado

Um vídeo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pede votos para a candidata do PT ao Senado por Goiás, Marina Sant’Anna, foi usado em uma nova edição para dar a impressão de que o petista apoiaria a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva. A gravação que altera o sentido da frase de Lula foi publicada no YouTube um dia depois da original, postada pelo canal oficial da candidata ao Senado. Após o PT dizer que pediria a remoção à Justiça e o PSB "repudiar o uso indevido da imagem da candidata", o conteúdo foi tirado do ar. Outras páginas no Youtube, entretanto, replicaram a versão modificada da propaganda. Confira:

Veja a propaganda original do PT:

O vídeo postado na quarta-feira no canal Internet Show começa com o logotipo oficial da chapa de Marina, que foi ministra do Meio Ambiente de Lula, e de seu candidato a vice, Beto Albuquerque. Em seguida, surge a gravação na qual Lula diz: "Eu conheço a Marina há mais de 30 anos. Por isso, tenho certeza de que ela é hoje a candidata mais preparada para ajudar a combater as desigualdades sociais". A edição corta a fala de Lula quando ele mencionaria o trecho "em Goiás", como mostra a legenda do vídeo original, mantida na nova versão.

Em seguida, o ex-presidente afirma: "Ela vai trabalhar para dar continuidade e ampliar os programas sociais do governo federal. E vai defender a reforma política que o Brasil tanto precisa". O vídeo editado se encerra exibindo novamente o logotipo da campanha de Marina.

Na gravação original, Lula ainda diz que "Marina (Sant'Anna) será motivo de orgulho para o povo de Goiás. Por isso, vote Marina, vote 131", mas essa parte da fala também foi cortada.

Marina Sant’Anna é suplente de deputada federal e sempre atuou no PT. Foi advogada da Comissão Pastoral da Terra (CPT) logo que a entidade foi criada, na segunda metade dos anos 1970.

Reprodução
Em vídeo, Lula manifesta apoio à candidata ao Senado Marina Sant"Anna

Reação. Após o vídeo começar a circular nas redes sociais, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou na tarde de quinta-feira que iria recorrer a medidas judiciais e administrativas para retirar o vídeo do ar. "Temos uma candidata ao Senado, a deputada federal Marina Santanna, que recebeu, como é natural, uma gravação de apoio do presidente Lula", disse Falcão. "É uma montagem fraudada, que suprime o sobrenome (da candidata petista) e coloca apenas o presidente Lula apoiando ‘Marina’, como se fosse a candidata do PSB", descreveu. Falcão não atribuiu a autoria do vídeo ao PSB ou à campanha de Marina.

De acordo com o presidente do PT, foi enviado um pedido administrativo ao Google para retirar a peça do YouTube. Pouco depois, o vídeo já não estava mais disponível. Em seu lugar, havia a mensagem: "Este vídeo não está mais disponível devido à reivindicação de direitos autorais Coligação com a Força do Povo". No entanto, até as 21h de ontem havia outros links ativos com o mesmo vídeo.

Mesmo sem a identificação do autor da edição - não se sabe se o usuário que criou o canal no YouTube é vinculado ou não à campanha do PSB -, o PT decidiu encaminhar à Justiça Eleitoral uma representação por propaganda eleitoral irregular que, de acordo com Falcão, "pode induzir o eleitor a erro". Também será pedido ao Ministério Público Eleitoral a instauração de um inquérito criminal para apurar as práticas de "falsidade ideológica de cunho eleitoral" e para identificar os responsáveis.

O presidente do PT disse que a coligação também vai entrar com uma ação cível para retirar o vídeo do ar. "Ele viola o direito autoral e o direito de imagem (de Lula). Continuaremos na nossa linha de, nas nossas redes sociais, não nos valermos de fraudes e adulteração."

Em nota, o PSB classificou o vídeo como "tosco e fraudulento" e disse que vai pedir apuração do caso. "Expediente dessa ordem contraria os princípios éticos que caracterizam a candidata Marina Silva e os partidos que integram nossa coligação." / COLABORARAM RICARDO BRITO, RICARDO DELLA COLETTA e DAIENE CARDOSO

Eleições 2014