Assine o Estadão
assine

Política

Eleições

Vice de Marina se oferece para ser coordenador interino da campanha

Beto Albuquerque pode assumir lugar de Carlos Siqueira, que deixou cargo após se desentender com Marina

0

Elder Ogliari,
O Estado de S. Paulo

21 Agosto 2014 | 18h18

O candidato a vice-presidente na chapa de Marina Silva, deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), atribuiu a saída do coordenador de campanha do partido, Carlos Siqueira, a um "pequeno desentendimento" e disse nesta quinta-feira, 21, em Porto Alegre, que pode assumir a função temporariamente até a sigla encontrar um nome de consenso para a tarefa.

Albuquerque lembrou que, desde a morte de Eduardo Campos, que concorreria à Presidência, há uma semana, todos os integrantes da coligação estão extenuados pela busca inicial dos corpos, velório, sepultamento e, posteriormente, tratativas políticas. Muitos têm dormido menos de quatro horas por noite, segundo o candidato. "Neste momento de tensão houve um atrito, (que é) vencível", justificou.

Referindo-se à reunião de quarta-feira à tarde, Albuquerque disse que "Marina não ofendeu ninguém, é uma mulher delicada e generosa". Admitiu ainda que, assumindo a condição de candidata, Marina queira ter algumas pessoas de sua confiança em áreas estratégicas de sua campanha. "Isso foi compreendido errado, a meu juízo, pelo Carlinhos, que eu prezo imensamente, e ele se estressou com aquela nossa reunião", avaliou, afirmando que "isso está resolvido".

"Vamos escolher um coordenador, eu posso até assumir interinamente essa coordenação, até que a gente resolva", afirmou. "O que está em jogo é mudar o Brasil e não vamos nos perder em intrigas de uma ou outra pessoa nesse caso, esse assunto para nós é assunto resolvido." Albuquerque ressalvou, no entanto, que sua disposição para a tarefa é transitória porque logo terá de viajar muito, em campanha, por todo o País.

Mais conteúdo sobre: