1. Usuário
Assine o Estadão
assine

TCU retoma processo sobre aquisição de Pasadena pela Petrobrás

Beatriz Bulla - O Estado de S. Paulo

26 Agosto 2014 | 23h 46

Plenário da corte também definirá se a presidente da estatal, Graça Foster, terá seus bens bloqueados

BRASÍLIA - O Tribunal de Contas da União (TCU) retoma nesta quarta-feira, 27, o processo sobre a aquisição da refinaria de Pasadena pela Petrobrás e define se a presidente da estatal, Graça Foster, terá seus bens bloqueados. A decisão foi adiada duas vezes pelo plenário da corte. Na semana passada, o relator, ministro José Jorge, pediu a retirada do caso de pauta para apurar suposta doação de bens feita por Graça e pelo ex-diretor da área internacional Nestor Cerveró para fugir do bloqueio. 

Nesta terça-feira, 26, o ministro afirmou ao Broadcast Político que diligências confirmaram a doação dos bens. No relatório, José Jorge vai relatar o apurado e manter seu voto inicial, que pede o bloqueio patrimonial de todos os envolvidos, incluindo Graça. 

Marcos de Paula/Estadão
A presidente da Petrobrás, Graça Foster

Nos bastidores, a expectativa é de o TCU libere Graça. Ao menos quatro votos deverão ser divergentes e pedir para que ela fique fora do grupo que terá decretada a indisponibilidade de bens. Resta dúvida sobre a posição do recém-chegado Bruno Dantas. 

A Petrobrás entregou documentos ao tribunal sobre a doação, feita por Graça para os filhos antes de seu nome ter sido incluído no processo, conforme revelou O Globo. No caso de Cerveró, o TCU realizou uma análise nos cartórios do Rio. 

Novo processo. A natureza da doação, contudo, pode ser objeto de discussão no novo processo que investigará a culpa dos dirigentes e ex-dirigentes envolvidos na operação de compra de Pasadena. Se forem considerados culpados, eles podem ter de ressarcir US$ 792 milhões. 

Sob o risco de Graça ser responsabilizada pelo prejuízo, a Petrobrás reforçou nos últimos dias a divulgação de um extenso comunicado sobre o negócio. O material foi publicado no site da estatal e sua distribuição tem sido reproduzida diariamente, prática incomum na comunicação institucional da companhia. / COLABOROU ANTONIO PITA