1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

Skaf admite pela primeira vez poder encontrar Dilma em ato de campanha

Mateus Coutinho - O Estado de S. Paulo

29 Agosto 2014 | 17h 45

Candidato do PMDB ao governo estadual diz que vai cumprimentar presidente caso veja petista em evento promovido por seu partido em Jales

O candidato peemedebista ao governo de São Paulo, Paulo Skaf, admitiu pela primeira vez nesta sexta-feira, 29, que pode encontrar a presidente Dilma Rousseff em evento promovido pelo PMDB paulista no sábado, 30, em Jales, no interior do Estado.  "Se eu encontrar a presidente da República em algum lugar, com muito respeito irei cumprimentá-lá, é natural", disse.

Skaf tem evitado a associação de seu nome e de sua candidatura ao de Dilma, em função da alta rejeição que o PT e a presidente enfrentam no Estado. Por isso, o candidato tem dito que apoia a chapa do vice-presidente Michel Temer, presidente do PMDB, em vez de declarar voto na petista. "Voto com meu partido", tem dito Skaf desde que respondeu pela primeira vez em quem votaria para presidente, ao participar da série Entrevistas Estadão.

Skaf afirmou ainda que não estará em nenhum palanque no sábado. "Não pretendo estar em nenhum palanque nem nada disso, vou passar e cumprimentar meus companheiros (do PMDB)", explicou, lembrando que deve ir para a Festa do Peão e Boiadeiro em Barretos no mesmo dia.

O peemedebista cancelou de última hora sua agenda em São José do Rio Preto nesta sexta para gravar imagens para sua campanha em regiões carentes da zona sul da capital paulista.

Ele visitou as comunidades de Vila Aracati, Vila Gilda, Cidade Ipava e Muriçoca, onde conversou com moradores e chegou até a jogar bola com crianças em um campo de terra.

Skaf estava acompanhado do vereador Ricardo Nunes, líder do PMDB na Câmara de São Paulo e ambos bateram pênaltis para os jovens defenderem. Nunes bateu uma vez e foi defendido, já Skaf chutou duas vezes, mas também não conseguiu marcar.

Eleições 2014