Reggae de Eduardo Jorge viraliza na rede

Vídeo foi criado por publicitário ligado ao PSDB

Pedro Venceslau , ENVIADO ESPECIAL

29 Setembro 2014 | 22h59

BELO HORIZONTE - Integrante do bloco dos candidatos nanicos na disputa presidencial, o médico Eduardo Jorge, do PV, ganhou de presente de um publicitário ligado ao PSDB um jingle que viralizou na internet - registrou mais de 350 mil visualizações em poucos dias - e acabou “adotado” pela campanha.

Em ritmo de reggae, a música, que faz uma paródia de Don’t worry be happy, do cantor americano Bobby McFerrin, provoca a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) - “Já estou cansado dessa onda quadrada, a Dilma ninguém traga nem estando bolada” - e a candidata Marina Silva (PSB) - “Não abaixo a bola para nenhum pastor, chega de preconceito o importante é o amor” -, mas preserva o tucano Aécio Neves. 

Além da trilha sonora característica, o vídeo traz outras referências ao uso da maconha, já que o candidato é declaradamente a favor da legalização do uso da substância. Eduardo Jorge também aparece em situações como andando de bicicleta e de transporte público. 

O criador do vídeo é o publicitário Pedro Guadalupe, que integra a equipe de comunicação da campanha de Pimenta da Veiga, candidato do PSDB ao governo mineiro. “Fiz esse vídeo como maconheiro ativista. Não quis tirar de voto de ninguém, mas ajudar a causa”, afirmou. “É um absurdo alguém ligar isso aos outros serviços que presto”, completou. 

Segundo Guadalupe, a repercussão foi positiva inclusive no partido de Eduardo Jorge. “O presidente nacional do PV (José Luiz Penna) ligou elogiando. E que eu saiba o Eduardo disse que gostou muito”, afirmou Guadalupe. 

Penna confirmou ao Estado que gostou do vídeo e disse ter “adorado a homenagem”. “Liguei para ele agradecendo. Foi a melhor peça publicitária.”

Para produzir o videoclipe, Guadalupe, que é dono de uma agência especializada em marketing digital, diz que gastou apenas R$ 300. “Foi para pagar os músicos.”

Mais conteúdo sobre:
Eleições Eduardo Jorge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.