1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
Eleições 2014

PT vê Marina como favorita para disputar 2º turno com Dilma e avalia estratégias

Pesquisas que chegam ao Planalto mostram que a ex-senadora ultrapassou tucano - levantamento anterior mostrava empate técnico

Cúpula do partido avalia que associação da imagem de Lula com Dilma será fundamental
Cúpula do partido avalia que associação da imagem de Lula com Dilma será fundamental

BRASÍLIA - O comando da campanha de Dilma Rousseff avalia que a candidata do PSB à presidência, Marina Silva, será a principal adversária do PT daqui para a frente e já prepara uma ofensiva com "mais Lula" para enfrentá-la. Se antes havia uma preocupação com a presença exagerada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha, a cúpula do PT diz agora que a associação da imagem dele com Dilma será fundamental, principalmente no Nordeste.

As últimas pesquisas que chegaram ao Planalto mostram que Marina ultrapassou o candidato do PSDB, Aécio Neves, e está agora em segundo lugar, com diferença maior que a margem de erro dos levantamentos. Os números foram discutidos na noite de quarta-feira, 20, durante reunião de coordenação da campanha petista com Dilma e com Lula, no Palácio da Alvorada.

A avaliação interna é que, se até o início de setembro Marina estiver nessa posição, a estratégia de polarização com o PSDB - preferida pelo Planalto - terá de ser refeita. Ministros acreditam que, por enquanto, a tática de desconstrução de Marina ficará a cargo dos tucanos e já comemoram as divergências no comitê do PSB.

Na tentativa de impedir que Marina herde no Nordeste os votos do ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no dia 13, Lula e Dilma seguiram nesta quinta-feira, 21, pela manhã para o interior de Pernambuco. Em Floresta (PE), a dupla almoçou com os trabalhadores do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco. No cardápio, arroz, feijão, picadinho de carne e salada.

Entre beijos, abraços, fotos e autógrafos, os dois gravaram cenas para o horário eleitoral de TV. Na comunidade rural de Batatinha, em Paulo Afonso (BA), Dilma e Lula também provaram a galinhada de dona Nalvinha, figura conhecida na região.

Imagem modulada. Os trackings do PT sobre a estreia de Dilma na propaganda política de TV mostraram que a estratégia de mostrar a presidente como uma pessoa comum, que trabalha, cozinha e tem "saudade da filha e do neto", surtiram efeito. O PT montou uma estrutura especial de pesquisa em São Paulo, maior colégio eleitoral do País, com o objetivo de moldar a imagem de Dilma na campanha. Na lista de atributos, a presidente foi vista pela maioria dos eleitores entrevistados como uma mulher "batalhadora".

Em Minas Gerais, as pesquisas internas indicaram um cenário "avassalador" para a campanha de Aécio, nas palavras de um dirigente do PT. O tracking feito pelo partido revelou que Marina roubou muitos votos de Aécio em seu reduto eleitoral. O tucano ainda estaria na liderança, mas em situação de empate técnico com Dilma, com apenas dois pontos porcentuais à frente.

Para o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, o PT, agora, terá de trabalhar dobrado para reeleger Dilma, valendo-se de uma "artilharia forte" no programa eleitoral de TV. "Precisamos trabalhar muito, até mais do que antes, para vencer a eleição", afirmou Carvalho. "Temos de ter artilharia forte na televisão e uma infantaria forte também nas ruas. Não tem salto alto, não tem 'já ganhou', não tem essa de achar que tudo está resolvido já no primeiro turno".

Eleições 2014