PT vai governar o Ceará pela primeira vez

PT vai governar o Ceará pela primeira vez

Apoiado por Cid e Ciro Gomes, Camilo Santana promete governo de continuidade; segurança, emprego e educação são desafios

Carmen Pompeu e Pablo Pereira, O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2014 | 01h13

FORTALEZA - O candidato do PT, Camilo Santana, foi eleito ontem o primeiro governador do partido no Ceará. Com 53,35% dos votos válidos, Camilo confirma uma virada política iniciada na reta final do 1.º turno, deixando o segundo colocado, Eunício Oliveira (PMDB), com 46,65%.

“Vamos dar continuidade ao projeto do governador Cid Gomes (PROS), cumprir os compromissos da campanha e avançar nas conquistas para melhorar a vida das pessoas. E vamos ajudar a Dilma a fazer a reforma política e a continuar a melhorar a vida dos brasileiros. Agradeço muito ao povo cearense e prometo trabalhar muito”, afirmou Camilo, por volta das 22h de ontem, ao chegar ao comitê no bairro Cocó, em Fortaleza, local da festa da vitória.

Apoiado pelo governador e pelo ex-ministro e atual secretário estadual da Saúde, Ciro Gomes, Camilo prometeu ainda a continuidade das obras do Cinturão das Águas e a construção da siderúrgica do Porto de Pecém como políticas para ampliação de empregos. “Vamos levar a industrialização para o interior e investir na segurança pública”, disse o candidato, no início da noite, ainda em casa, onde recebeu o resultado oficial.

Camilo votou cedo, em Barbalha, região do Cariri, acompanhado pela mulher, Onélia Leite, pelo governador e pelo prefeito José Leite (PT). De lá, seguiu para Sobral, onde Cid Gomes votou. Na volta a Fortaleza, no meio da tarde, os dois acompanharam o prefeito da capital, Roberto Cláudio (PROS), que votou no bairro Aldeota pouco antes do fechamento das urnas. Eleito por uma coligação de 18 partidos, Camilo terá pelo menos uma dura tarefa logo que assumir: reorganizar a política de segurança pública, um dos principais problemas do governo Cid Gomes. Desde 2012, as relações entre a Polícia Militar e o governo estadual são de conflito político. 

“Vamos trabalhar para melhorar a segurança pública”, disse Camilo, no início da noite. Para o prefeito Roberto Cláudio, pelo menos três áreas da capital precisam de planos de combate ao crime, com ações imediatas. “Já estamos trabalhando isso com a parceria do governador Cid Gomes e vamos buscar o apoio também do Camilo e da presidenta Dilma”, afirmou Roberto Cláudio. Ele reconheceu que a expansão do crack entre os jovens é um dos principais problemas.

Para o governador Cid Gomes, a eleição de Camilo representa a sequência de um projeto social e de desenvolvimento cearense que ele iniciou no primeiro mandato, há sete anos. Cid Gomes explicou que a decisão de apoiar Camilo passou pela avaliação de seu grupo político de que havia uma posição dúbia do ex-presidente Lula em relação à disputa eleitoral no Ceará. A indecisão do ex-presidente poderia desaguar num apoio do líder petista à candidatura de Eunício.

“A decisão não foi minha. Foi coletiva. Lula tinha uma posição dúbia e poderia apoiar o nosso adversário”, afirmou Cid. O governador, que se licenciou do cargo na semana da eleição para se dedicar à campanha, disse ainda que Aécio Neves (PSDB) foi “mal orientado por marqueteiros”. “Ele foi irônico e agressivo com a presidente Dilma.”

Para o ex-governador Ciro Gomes, “a população percebe que é com Dilma que estão protegidos os valores centrais do Brasil”, afirmou, citando como méritos da gestão dela o “apreço ao trabalho e a defesa da superação das desigualdades”.

Na festa da vitória no Cocó, Ciro disse em discurso que não ficou satisfeito com o resultado da eleição na capital, onde Camilo não obteve o desempenho esperado nas urnas. “É preciso investigar para saber o motivo desse resultado”, afirmou Ciro.

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2014 Camilo Santana Ceará

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.