1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PT prepara cartilha para atuação nas redes sociais

Ricardo Galhardo - O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2014 | 02h 12

Oficinas vão arregimentar militantes para ações em defesa do governo na internet; site do partido terá 'agência de notícias'

A partir de março, o PT vai realizar uma série de oficinas para orientar seus militantes sobre como usar as redes sociais, como Twitter e Facebook, na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff e dos candidatos do partido.

Segundo o vice-presidente nacional do PT, Alberto Cantalice, coordenador das oficinas, a ideia é arregimentar uma legião de militantes com nome, rosto e orientação política clara para se contrapor à imagem de campanhas subterrâneas na rede, difundidas desde as eleições de 2010. "Nós vamos para as redes sociais mostrando a cara, ao contrário de outros partidos por aí que usam robôs para espalhar mentiras", disse Cantalice.

De acordo com ele, as oficinas começam no início de março em São Paulo, numa parceria com o diretório estadual local, e depois serão realizadas em outros Estados. Nelas, os militantes receberão orientação política e informações sobre o programa partidário e ações das administrações petistas.

"Vamos discutir política com a rapaziada", disse Cantalice. O vice-presidente do PT rejeita acusações de doutrinação virtual.

Notícias. As oficinas de redes sociais integram o plano de trabalho do partido para a área de comunicação, definido pela executiva nacional petista na segunda-feira. Além delas, a direção do partido decidiu transformar as páginas da legenda em uma rede nacional de notícias.

O modelo do site foi apresentado por dois diretores da agência Pepper, na reunião de segunda-feira. O partido pretende contratar jornalistas em Brasília e em outros Estados para municiar as páginas com notícias de interesse do PT, como realizações do governo federal, agenda parlamentar, decisões partidárias e opiniões de dirigentes sobre os temas do momento.

Ontem, o secretário nacional de Comunicação do PT, vereador José Américo (SP), se reuniu com os responsáveis pela área em 17 Estados, para orientar as estratégias regionais de propaganda.

Entre fevereiro e maio o PT terá direito aos programas e inserções estaduais. De acordo com Américo, a prioridade é evitar deslizes que possam resultar em perda de tempo na TV, a exemplo do que ocorreu em São Paulo, em 2010, prejudicando a campanha do partido no Estado.

Entre os riscos apontados estão o não cumprimento da cota de mulheres nos programas e textos de conteúdo eleitoral. Os candidatos do partido aparecerão falando do programa político do partido. Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva devem organizar uma agenda de gravações para os programas do partido em todo o País.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo