1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail
Eleições 2014

PSOL pede anulação da candidatura de Arruda no DF

Representação do partido também atinge Jaqueline Roriz, sob argumento de que candidatos estão impedidos de concorrer nestas eleições porque se enquadram na Ficha Limpa

São Paulo - O diretório do PSOL no Distrito Federal solicitou nesta quinta-feira, 10, que o Ministério Público Eleitoral impugne as candidaturas de José Roberto Arruda (PR) ao governo do Distrito Federal e de Jaqueline Roriz (PMN) a deputada federal. O partido argumenta que ambos estão impedidos de concorrer porque se enquadram na Lei da Ficha Limpa e tiveram condenações por crimes de improbidade confirmadas antes da homologação da candidatura pela Justiça Eleitoral.

Arruda, que renunciou ao mandato em 2009 após o caso vir a público e chegou a ser preso em 2010, e Jaqueline foram condenados pelo Tribunal de Justiça (TJ) nessa quarta-feira, 9, por ato de improbidade administrativa, pelo envolvimento no esquema apoios políticos no esquema conhecido como mensalão do DEM.

A condenação em segunda instância acontece quatro dias depois de ambos terem protocolado pedido de registro da candidatura na Justiça Eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral, entretanto, ainda não decidiu se eles podem concorrer ou não.

A assessoria de imprensa do ex-governador disse nessa quarta considerar que "não há nenhuma implicação eleitoral" decorrente da condenação no TJ e que Arruda continua elegível. Em nota, o presidente do diretório do PR no DF, Salvador Bispo, disse que a decisão do TJ não afeta a candidatura de Arruda nem causa embaraço a uma eventual posse.

"Entendemos que os argumentos não têm sustentação porque o pedido de candidatura ainda não foi deferido pela Justiça eleitoral. O mesmo se aplica a Jaqueline Roriz", disse o candidato do PSOL ao governo do Distrito Federal, Antonio Carlos Andrade, o Toninho.

Eleições 2014