PSDB encara eleição na capital paulista como 'grande desafio'

Secretário-geral da legenda diz que liderança de José Serra nas pesquisas de opinião não é fator de tranquilidade

ELIZABETH LOPES , AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2012 | 03h07

O PSDB vem encarando a corrida para a Prefeitura de São Paulo como um grande desafio para a legenda. Tanto que a mobilização para a eleição de outubro envolve não apenas o comando de campanha do pré-candidato José Serra, mas também toda a direção da sigla.

Segundo o secretário-geral do PSDB paulista, César Gontijo, a liderança de Serra nas pesquisas de opinião não é encarada como um fator de tranquilidade no partido. "Temos de mostrar que temos uma política de gestão eficiente e usar a tecnologia para se aproximar das bases. Isso vale não só para as eleições na capital, mas para todas as cidades do Estado", destaca.

A criação do Núcleo Sindical também é uma aposta dos tucanos na estratégia de mostrar que o PSDB está atuando unido e em estreita sintonia com a classe trabalhadora. "Não somos o que nossos críticos querem pregar, um partido de elite. Muito pelo contrário, estamos em sintonia com as bases", afirma Gontijo.

Em resposta às alegações de que o PSDB vem se fragilizando por não atuar unido, Gontijo avisa: "Saímos do processo de prévias mais unidos e temos a nosso favor estatísticas que mostram que nosso partido é o mais votado em São Paulo e vamos atuar em sintonia para eleger o Serra".

Segundo ele, nas eleições municipais de 2008, o PSDB disputou 418 prefeituras no Estado com candidatura própria e elegeu 205 prefeitos. Já o PT disputou 211 com candidaturas próprias e elegeu 60 prefeitos.

Apesar dos números favoráveis, Gontijo destaca que a meta dos tucanos para essas eleições "é menos quantitativa e mais qualitativa". A ideia, segundo ele, é ampliar o número de prefeituras administradas pelo PSDB nas grandes cidades.

"Queremos eleger pelo menos 30% dos prefeitos nos cem maiores municípios do Estado", diz. E cita que, dentre essas cidades, estão Guarulhos, Osasco, Diadema e Suzano, além da própria capital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.