1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Propaganda eleitoral na TV começa sem oficialização de Marina

JOÃO DOMINGOS, DAIENE CARDOSO, ENVIADOS ESPECIAIS - O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2014 | 02h 01

Ex-ministra será confirmada candidata pelo PSB na quarta-feira; programa eleitoral começa amanhã com homenagens a Campos

Reprodução
Cenas de programa eleitoral de TV da campanha do PSB que havia sido gravado pela equipe de Campos vazaram na internet

RECIFE - O primeiro programa da propaganda eleitoral do PSB vai homenagear o ex-governador Eduardo Campos, morto num acidente aéreo, sem apresentar a ex-ministra Marina Silva como candidata à Presidência. O programa vai abrir o horário eleitoral que começa amanhã vai abordar os "sonhos" de Campos e fará referência à última frase dita pelo candidato no Jornal Nacional, em entrevista concedida um dia antes de morrer: "Não vamos desistir do Brasil".

"A ideia é mostrar imagens e declarações de Campos ao longo da pré-campanha e da campanha. Será um programa mais plástico, emocional, com imagens bonitas, seleção de frases marcantes", disse o presidente do PSB, Roberto Amaral. A coligação do PSB conta com 2min3s de propaganda em cada bloco de 25 minutos diários.

Filiação. O programa de amanhã também deve exibir as imagens do encontro entre Campos e Marina em outubro de 2013, um ano antes da eleição presidencial, quando a ex-ministra anunciou sua filiação ao PSB, logo após ter o registro de sua Rede Sustentabilidade negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Amaral disse ainda que o roteiro final do programa não foi apresentado à cúpula do PSB. Isso deve ocorrer hoje, a tempo de enviar a peça para as emissoras de televisão e rádio.

O anúncio oficial da candidatura de Marina à Presidência será feito na quarta-feira, após reunião da Executiva do PSB que vai confirmar a escolha pela ex-ministra. Por esse motivo, do ponto de vista legal, o partido considera que não pode apresentar Marina como concorrente ao Planalto antes de pedir o registro dela e de seu candidato a vice no TSE.

'Salvaguardas'. Antes dessa reunião, o PSB quer "salvaguardas" de Marina para acordos políticos feitos por Campos, como a manutenção das alianças regionais e um comportamento menos hostil ao agronegócio. O candidato do PSB vinha fazendo acenos para uma convivência pacífica com o setor em um eventual governo.

As salvaguardas constarão de um documento que deve ser entregue a Marina pouco antes de ser oficializado o convite para ela ocupar a cabeça da chapa. O PSB não quer que a ex-ministra faça uma campanha que possa prejudicar o PSB em benefício da Rede Sustentabilidade.

"O PSB abre, a partir de agora, o processo de consultas visando a construção de alternativa política consensual a ser adotada pela sua Executiva Nacional, instância partidária adequada para decisões dessa magnitude", disse Amaral. Segundo o presidente do partido, vão ser ouvidos dirigentes nacionais e estaduais, governadores e candidatos majoritários nos Estados antes da reunião da Executiva.

Na quarta-feira, será confirmado o novo vice da chapa do PSB. O mais cotado é o líder do partido na Câmara, Beto Albuquerque, terceiro colocado na disputa ao Senado pelo Rio Grande do Sul.

Eleições 2014