1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Pré-candidato verde diz que Campos é neófito na área

ROLDÃO ARRUDA - O Estado de S.Paulo

25 Março 2014 | 02h 08

Amigo de Marina desde o PT, Eduardo Jorge vê questão ambiental como preocupação recente na gestão do governador

O governador pernambucano, Eduardo Campos (PSB), que deve concorrer à Presidência na companhia da ex-ministra Marina Silva (PSB), é um neófito na questão ambiental. A avaliação é do pré-candidato do PV ao Planalto, o ex-deputado Eduardo Jorge.

"A preocupação ambiental de Campos é muito recente. Ele próprio reconhece que no período anterior não teve essa preocupação e que só agora começou a incorporar teses como o uso de energia renovável e ampliação das unidades de conservação no País. Ainda não sabemos até que ponto isso vai refletir no programa dele", disse Eduardo Jorge ao Estado.

Apresentado em fevereiro como pré-candidato do PV à Presidência, o ex-deputado deve ser confirmado na disputa em junho, quando terá consolidado um programa de governo. Até lá, já começa a ensaiar o discurso político que deve diferenciá-lo de Campos e Marina, mais conhecida ambientalista do País.

Amigo da ex-ministra desde os tempos em que militaram no PT e um de seus principais assessores na campanha de 2010, quando ela obteve mais de 19 milhões de votos pelo PV, Jorge é cauteloso ao falar de Marina. "É uma pessoa maravilhosa, inteligente, linda, uma liderança ambientalista mundial, com quem fiz uma campanha memorável em 2010."

Quando provocado, porém, afirma que foi precipitada a forma como a ex-ministra deixou o PV, logo após as eleições, e critica o processo de criação da Rede Sustentabilidade. "A Marina tem em torno dela um grupo de assessores que quer um partido à imagem e semelhança dela. Num país com 200 milhões de habitantes, com diferenças que vão do Amazonas ao Rio Grande do Sul, isso não existe."

Sem tutela. Sobre o efeito da pregação ambiental de Marina em relação ao governador, Jorge disse: "Não acredito que o Eduardo seja tutelado pela Marina. Não acredito, aliás, que ele aceite qualquer tipo de tutela".

Ainda na área ambiental, o ex-deputado criticou a presidente Dilma Rousseff. "O que pensar de um governo que apostou todas as fichas num projeto energético baseado na indústria do petróleo, uma indústria fadada a se tornar obsoleta daqui a algumas décadas? Isso reflete um descrédito profundo em relação ao desenvolvimento sustentável."

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo