Evaristo Sa/AFP - 3/4/2018
Evaristo Sa/AFP - 3/4/2018

Para Meirelles, Brasil está na direção certa e precisa continuar mudando

Durante evento do MDB em Jaguariúna (SP), membros do partido defenderam a reeleição de Michel Temer

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

05 Maio 2018 | 12h35

JAGUARIÚNA - Elogiando o presidente Michel Temer, o ex-ministro da Fazenda e pré-candidato à Presidência Henrique Meirelles afirmou neste sábado, 5, durante evento do MDB em Jaguariúna (SP), que o Brasil está na direção certa e precisa continuar nessa direção.

Segundo ele, Temer "está mudando o País". "Quando o presidente me convidou para assumir o ministério da Fazenda, olhei a situação e vi um homem de coragem enfrentando uma situação dramática. O Brasil, naquele momento, precisava de coragem. Vivíamos ali a maior crise da história do País. Uma crise econômica que gerou 14 milhões de desempregados e o povo passou a perder a esperança no futuro. O presidente Michel Temer assumiu e se comprometeu a fazer reformas fundamentais para o Brasil voltar a crescer", destacou.

Para Meirelles, naquele momento, o Brasil tinha uma crise maior que a de 1929, derivada de erros de administração, decisões visando populismo e efeito de curto prazo. "Nós olhamos muito bem quais as reformas que o País precisava e fizemos as reformas, que nem vou citar aqui porque vai estourar o tempo.", comentou. "O futuro do Brasil requer continuidade, requer o MDB no poder para um País desenvolvido, em que todo brasileiro possa ter orgulho de viver no Brasil", complementou.

Climão. Os membros do MDB presentes no encontro do partido ignoraram em seus discursos a pré-candidatura à Presidência de Henrique Meirelles e defenderam a reeleição de Michel Temer.

++ Ciro Gomes afirma que chance de aliança com PT no 1º turno é próxima de zero

O deputado federal Beto Mansur foi o primeiro a defender a candidatura de Temer. "O presidente Michel Temer fez um trabalho inigualável e ele tem todas as chances de ser o nosso candidato e ser reeleito. Precisamos nos empenhar, porque as pesquisas não dizem tudo. Podemos ter Paulo Skaf no governo de São Paulo e Temer na presidência."

"Continue demonstrando sua coragem e aceite ser candidato à reeleição", reforçou o deputado federal Junji Abe. 

Parceria. No entanto, o presidente Michel Temer reforçou que ele e o ex-ministro da Fazenda continuarão "juntos em qualquer circunstância."

Ao discursar, Temer pediu aos membros do partido que sustentem "nosso governo". "No plano federal, estamos reconstruindo a economia do País", afirmou, acrescentando que quando se vai para uma eleição, é preciso ter projeto. "Vocês sabem que há dois anos a Petrobrás era um palavrão, e hoje está recuperada", destacou.

"Quando a economia começa a melhorar, o alento volta". Temer citou o crescimento da economia, pontuando que previsão para expansão do PIB neste ano é de 2,75%, que contrasta com a retração de 3,6% de "quando pegamos o governo". "Todos, fora do País, têm admiração pelo que foi feito no Brasil. Na Argentina, os juros estão em 40%", comparou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.