1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Oito candidatos à Presidência apresentam pedidos de registro ao TSE

Lilian Venturini - O Estado de S. Paulo

04 Julho 2014 | 11h 16

Ainda sem a formalização das candidaturas de Dilma e Aécio, estimativa de gasto de campanha chega a R$ 328,4 milhões; prazo para os partidos termina às 19 horas deste sábado

Atualizado às 14h10

São Paulo - A um dia do prazo final, oito candidatos à Presidência da República entregaram o pedido de registro das candidaturas para estas eleições ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com os dados apresentados pelos partidos, o gasto máximo estimado até agora com a campanha deve ultrapassar os R$ 700 milhões.

A presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) não apresentaram o pedido de registro até a manhã desta sexta-feira, 4. O prazo termina às 19 horas deste sábado, 5.

As previsões iniciais estimam um gasto de R$ 328,4 milhões durante o pleito. No site do TSE, não constam os dados relativos à campanha de Pastor Everaldo (PSC). Ao Estado, no entanto, o partido previu gasto máximo de R$ 50 milhões.

A campanha do PT deve estipular como teto R$ 290 milhões. O PSDB ainda não informou. Em 2010, na candidatura de José Serra, o PSDB previu gasto máximo de R$ 180 milhões. Caso esses valores sejam mantidos, as eleições de 2014 podem alcançar R$ 798,4 milhões. Em 2010, os nove candidatos gastaram R$ 289,20 milhões (em valores da época).

Com previsão de R$ 100 mil, a campanha de Mauro Iasi (PCB) é a mais econômica na comparação com os demais.

Registros. O candidato do PSTU, José Maria de Almeida, foi o primeiro a registrar a candidatura, em 20 de junho. Nessa quinta, 3, o ex-governador Eduardo Campos (PSB) e sua vice, a ex-ministra Marina Silva, entregaram o pedido pessoalmente ao TSE. No mesmo dia compareceram o pastor Everaldo e José Maria Eymael (PSDC). Além deles, o TSE recebeu as solicitações de Eduardo Jorge (PV), Levy Fidelix (PRTB), Luciana Genro (PSOL) e Mauro Iasi (PCB).

Após a entrega do pedido, um ministro do TSE avalia a documentação apresentada e decide se a candidatura será ou não registrada. Nesta etapa, os candidatos precisam apresentar, entre outras informações, a declaração de bens, a previsão do gasto máximo durante a campanha e um programa de governo. Os dados ficam disponíveis no site do TSE.

Bens. Eymael (PSDC) é o candidato com a declaração mais alta até o momento, se comparada com as outras sete já cadastradas no TSE. Segundo os dados divulgados no site do tribunal, seus bens somam R$ 5,1 milhões. Na página do TSE, consta um patrimônio de R$ 17 milhões, mas, de acordo com o candidato, erros de digitação em alguns dos bens alteraram o valor total, que será corrigido. Em 2010, quando também disputou o Planalto, a declaração fornecida informava R$ 3,1 milhões.

Eduardo Campos apresentou patrimônio de R$ 546,7 mil. A menor relação de bens é de José Maria (PSTU), com R$ 20 mil. No site, o valor não é discriminado. Nas eleições de 2010, o candidato do PSTU informou apenas um carro, avaliado em R$ 16 mil.

Eleições 2014