Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'Na minha campanha não tem caixa dois', afirma Dilma Rousseff

Caso irregularidades sejam constatadas no futuro, a candidata do PT garante que todos pagarão: 'E ocorrerá com qualquer partido'

Wilson Tosta e Mariana Sallowicz , O Estado de S. Paulo

25 Outubro 2014 | 09h58

Em tom irritado, a presidente Dilma Rousseff negou, após o debate da Rede Globo, o último de 2014, a possibilidade de haver caixa 2 em sua campanha. "Eu te asseguro que na minha campanha não tem caixa 2. Não existe este 'se' na minha vida. Te asseguro isso", disse Dilma, com expressão fechada, ao responder a um repórter que lhe perguntou qual seria a sua atitude se, futuramente, descobrisse que à sua revelia, fora usado em sua campanha dinheiro de caixa 2.

Dilma disse ainda achar que todos os partidos têm "gente boa e gente ruim". "Agora, quero te dizer uma coisa: todos aqueles que cometeram irregularidades pagarão. E isso ocorrerá com qualquer partido. Eu não concordo com engavetamento nem com arquivamento de processos", disse a presidente e candidata à reeleição. Ela citou que há 217 processos envolvendo corrupção e 242 foram engavetados e afirmou que não foram reabertos porque só o Ministério Público poderia fazê-lo.

Aparentando cansaço e rouca, Dilma disse esperar um 2015 com retomada moderada do crescimento no Brasil. Dilma afirmou não acreditar que o próximo ano será "tão difícil como a oposição declara".

"O Brasil neste segundo semestre teve recuperação, mas concordo que há um quadro internacional complicado. A indústria de São Paulo sofre a consequência de uma grave depressão do preço das commodities", afirmou em coletiva na Rede Globo.

Segundo a candidata, o Brasil tem todas as condições para que nos próximos meses tenha uma situação bem mais favorável. "Nós temos indicadores muito interessantes. Teremos uma retomada, ainda moderada, mas uma retomada", afirmou. "Não faço análises de prognósticos de eleições. Espero a hora que as urnas abrirem. Tenho muita fé e espero que o povo brasileiro não queira o retrocesso", afirmou ainda, sobre o pleito de domingo. 

Mais conteúdo sobre:
Eleições Dilma Rousseff PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.