Morumbi tem o maior índice de indígenas

Dados do Censo 2010 em São Paulo mostram que a população branca vive principalmente nos bairros mais nobres. Mas é também em um dos distritos mais ricos de São Paulo, o Morumbi, que registra o maior índice de população indígena da cidade: são 403 índios ou descendentes declarados, cerca de 0,9% da população dessa região.

O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h03

Em números absolutos, o lugar com mais índios na cidade é o distrito de Parelheiros, no extremo sul, com 1.002 indígenas (0,8% do total da população), principalmente da etnia guarani. O Morumbi, por sua vez, retrata uma situação peculiar.

É nessa região que fica a favela Real Parque, onde a tribo pancararu fincou residência em meados da década de 1950, vindos do sertão de Pernambuco. Até 2010, quase 2 mil índios viviam na favela às margens da Marginal do Pinheiros, segundo a Associação SOS Pancararus, entidade que reúne os indígenas da região. Os barracos, porém, estão dando lugar a casas de alvenaria e apartamentos populares, em um projeto de reurbanização de favelas da Prefeitura. "Até nossa sede já foi demolida", conta a presidente da SOS Pancacarus , Dôra Pereira do Prado.

Moema, bairro mais rico de São Paulo, é o porcentualmente mais branco: 90,6% dos seus 83,3 mil habitantes se declararam dessa cor. A desigualdade econômica entre as cores de pele fica clara ao se analisar o distrito com mais negros: Cidade Tiradentes, um dos mais pobres, onde 12,6% dos habitantes declararam ser pretos. O bairro com mais asiáticos e descendentes é a Liberdade, reduto de japoneses, chineses e coreanos, com 16,3% de amarelos. O líder em miscigenação é o Jardim Ângela: com 51,3% de habitantes pardos. / ADRIANA FERRAZ, NATALY COSTA e RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.