1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Eleições 2014

Marina venceria Dilma e Aécio no 2º turno, indica CNT/MDA

RICARDO BRITO - Agência Estado

27 Agosto 2014 | 11h 13

Pesquisa mantém presidente em primeiro lugar, com 34,2%, seguida da candidata do PSB, com 28,2%, e do tucano, com 16%

Brasília - A pesquisa MDA, divulgada na manhã desta quarta-feira, 27, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), coloca a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, no segundo lugar na corrida ao Palácio do Planalto. A presidente Dilma Rousseff está em primeiro lugar, com 34,2%, e Marina, 28,2%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, alcançou 16%. A ex-ministra derrotaria os dois adversários em um eventual segundo turno.

No confronto do segundo turno, Marina venceria Dilma por 43,7% contra 37,8%. Numa disputa entre Dilma e Aécio, a presidente se reelege com 43% das intenções de voto, contra 33,3% do tucano. Numa disputa entre Marina e Aécio, a candidata do PSB registra 48,9% e Aécio, 25,2%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 24 unidades da federação das cinco regiões, entre os dias 21 e 24 de agosto de 2014. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos.

O resultado é semelhante ao registrado na pesquisa Ibope, contratada pelo Estado e pela Rede Globo, divulgada nessa terça-feira, 26. Na sondagem, Marina abriu 10 pontos porcentuais no primeiro turno em relação ao terceiro colocado, o tucano Aécio Neves, 29% a 19%. No segundo turno, Marina também venceria Dilma por 45% a 36%. O cenário em que Marina e Aécio disputariam o segundo turno não foi realizado.

Aprovação a Dilma. A avaliação positiva do governo Dilma ficou em 33,1%. A avaliação negativa foi de 28,8% e a regular, 37,4%. Os porcentuais variavam dentro da margem de erro do último levantamento, feito há duas semanas, quando a avaliação positiva era 33,2%, a negativa 28,9% e a regular 37,1%.

Em abril, no último levantamento do instituto feito antes do período eleitoral, a avaliação positiva era de 32,9%, a negativa, 30,6%, e a regular 35,9%.

Por sua vez, a aprovação e a desaprovação pessoal da presidente ficaram empatadas em 47,4% - o restante dos entrevistados não souberam ou não responderam a sondagem. Nesse quesito, os resultados também ficaram dentro da margem de erro da última pesquisa, de suas semanas atrás.

Em abril, Dilma tinha 47,9% de aprovação pessoal e 47,6% de desaprovação pessoal - margem dentro da margem de erro do levantamento.

Eleições 2014