Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Marina abre 10 pontos porcentuais de vantagem no 2º turno

Eleições

Márcio Fernandes/Estadão

Marina abre 10 pontos porcentuais de vantagem no 2º turno

Candidata do PSB à Presidência subiu 13 pontos porcentuais e já empata com a presidente Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno

0

Carla Araújo ,
O Estado de S. Paulo

29 Agosto 2014 | 20h48

Atualizada às 23h39

Lançada candidata há apenas dez dias, Marina Silva (PSB) empatou com Dilma Rousseff (PT) na corrida presidencial. Segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 29, pela TV Globo, ambas têm 34% da intenções de voto. O tucano Aécio Neves, terceiro colocado, tem 15%. Em um 2.º turno contra a atual presidente, Marina venceria por 50% a 40% se as eleições fossem hoje.

A taxa de intenção de votos na candidata do PSB saltou 13 pontos porcentuais desde o dia 18 de agosto, data do levantamento anterior do Datafolha. Dilma, por sua vez, oscilou dois pontos para baixo, de 36% para 34%. O candidato do PSDB teve queda de cinco pontos.

Marina virou candidata após a morte do presidenciável Eduardo Campos, do PSB, em um acidente de avião, em Santos, há pouco mais de duas semanas. A sequência de pesquisas feita desde então mostra que ela vem subindo a cada dia.

No primeiro levantamento do Datafolha após o acidente, Marina apareceu empatada tecnicamente com Aécio (21% a 20%) - posição que Campos nunca havia alcançado. Depois, pesquisa Ibope/Estado/Rede Globo publicada na última terça mostrou-a pela primeira vez isolada na segunda colocação, com 29%, 10 pontos a mais que o adversário tucano e 5 a menos que Dilma. Agora, Marina chega à liderança, empatada com a presidente.

Confronto direto. Na simulação de 2.º turno contra Dilma, a candidata do PSB subiu de 47% para 50% desde a pesquisa anterior do Datafolha. A presidente caiu de 43% para 40%. Em uma eventual disputa contra Aécio, a petista ainda venceria, por 48% a 40%.

O Datafolha também ouviu os entrevistados sobre a avaliação que fazem do governo Dilma. A taxa de ótimo ou bom caiu de 38% para 35%. Os que consideram a gestão ruim ou péssima passaram de 23% para 26%. 

O Instituto Datafolha entrevistou 2.874 pessoas entre quinta e sexta-feira, em 178 municípios de todas as regiões do País. O nível de confiança é de 95% - isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos similares, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00438/2014.