Marconi Perillo, do PSDB, vai agora para o 4º mandato

Marconi Perillo, do PSDB, vai agora para o 4º mandato

Com 57,44% dos votos válidos, Perillo derrotou, pela terceira vez, Iris Rezende, do PMDB, com 42,56%

PEDRO PALAZZO, Especial para O Estado

26 Outubro 2014 | 18h30

Marconi Perillo (PSDB) foi reeleito para o quarto mandato como governador de Goiás com 57,44% dos votos válidos. Ele derrotou pela terceira vez Iris Rezende (PMDB), que obteve 42,56% dos votos.

Mais de um quinto (21,5%) dos eleitores do Estado não foram votar; 2,6% votaram branco e 7,6% anularam.

O governador acompanhou a apuração de sua propriedade no município de Pirenópolis, a 120 km da capital. Às 19h16 ele postou um vídeo no Youtube em que aparece ao lado da família agradecendo pelos votos. “Estou extremamente feliz e emocionado. É a quarta vez que tenho a honra de ser eleito governador do nosso Estado. Estamos todos muito agradecidos a Deus e ao povo goiano.”

Em seguida Perillo voltou a Goiânia para comemorar a vitória com a militância na Praça Cívica, centro da capital, onde ficam o prédio do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) e a residência oficial do governador. Centenas de pessoas se reuniram para, ao som de jingles, esperar o discurso do governador reeleito.

Em coletiva após o resultado, Perillo ressaltou que vai procurar avançar em políticas que possam significar emancipação para os mais pobres. “Vamos nos debruçar na questão dos salários dos professores”, afirmou o governador.

Perillo falou também sobre a derrota na capital do Estado. “Em Goiânia não vencemos, mas sempre temos número expressivo de votos.”

Tradição. Este pode ter sido o último confronto entre Perillo e Rezende, cujos grupos políticos governam o Goiás há 32 anos. O peemedebista, de 80 anos, disse que não disputará mais eleições.

Foram cinco disputas ao governo, duas ao Senado, três à Prefeitura de Goiânia, uma a vereador e a deputado estadual. Rezende disse, no entanto, que continuará militando no partido: “Só vou deixar a política quando Deus me chamar”, afirmou o peemedebista.

Mais conteúdo sobre:
eleições goiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.