1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Leia na íntegra o discurso de Alexandre Padilha

O Estado de S. Paulo

15 Junho 2014 | 14h 27

O candidato ao governo do Estado de São Paulo falou em convenção neste domingo, 15

Pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, o ex-ministro Alexandre Padilha pediu mudança neste domingo, 15, em convenção que confirmou seu nome na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes. "Em minhas veias corre o sangue paulista, o sangue daqueles que não se acomodam. Eu não sou conformista. Mudança não é para os acomodados", discursou Padilha. Leia abaixo, na íntegra, o discurso:

"Boa tarde a todos!

Este é um dia muito especial para mim. E, ao olhar cada rosto, ao sentir a vibração de cada um de vocês, acredito que podemos transformar esse dia num dia especial também para São Paulo.

Minhas companheiras e meus companheiros, vocês não imaginam o tamanho da gratidão e do amor que preenchem a minha alma nesse momento.

Saibam que tenho energia de sobra para trabalhar e, acima de tudo, uma imensa paixão por São Paulo. Por nosso povo e por nossa bandeira de 13 listas.

Por isso, acreditem: honrarei com entusiasmo este voto de confiança que vocês me deram!

Muito obrigado!

De coração, agradeço aos militantes, aos delegados e dirigentes do PT – a todos os companheiros deste partido que mudou - e vai continuar mudando o Brasil.

Obrigado, amigas e amigos queridos.

Agradeço aos companheiros aliados.

Obrigado pela confiança e apoio de vocês.

Hoje, selamos definitivamente a nossa união para fazer de São Paulo um estado melhor em tudo - e melhor para todos.

Agora é HORA de mudar de verdade a forma de governar o Estado de São Paulo.

Tenho a sorte e a felicidade de ter sempre ao meu lado a minha mulher, Thassia. A minha companheira querida, de todas as horas. Muito obrigado a você, meu amor.

Minha especial gratidão às duas pessoas que me ensinaram, desde pequeno, que toda mudança é fruto dos sonhos e da luta para realizá-los:

Obrigado, minha mãe. Obrigado, meu pai.

Agradeço à essa juventude, que renova SEMPRE as nossas esperanças de transformação. Vamos trabalhar juntos! Para os jovens e com os jovens.

Agradeço às mulheres paulistas, corajosas batalhadoras. Quero continuar contando com a força de vocês, que têm como exemplo máximo de coragem e firmeza a nossa presidenta Dilma.

Em suas presenças, Thassia, Deputadas, Prefeitas, Ministras, reafirmo o meu compromisso de dar total apoio e defender os direitos das mulheres.

Agradeço a Deus por me permitir viver mais este momento inesquecível em minha vida - de, aos 42 anos, poder assumir uma missão tão honrosa diante do povo do meu estado.

Tudo o que sou, devo a este povo: a solidariedade quando nasci; o apoio para crescer; a UNICAMP e a USP para me formar médico; a confiança de meus companheiros para ter sido Ministro de Lula e Dilma.

Vocês me conhecem. Em minhas veias, corre o sangue paulista. O sangue daqueles que não se acomodam.

Eu não sou um conformista!!

Desde a infância, aprendi com a minha mãe, Dra Lea, que mudança não é para os acomodados.

Me lembro, ainda menino, segurando a sua mão pelas ruas de terra do Campo Limpo.

Íamos, ela e eu, todo final de semana, ao Posto de Saúde da paróquia do Parque Regina. Era onde a minha mãe fazia trabalho médico voluntário.

Aquela dedicação mudava a vida das pessoas. E aquele exemplo de amor ao próximo mudou para sempre minha vida.

O homem que hoje sou foi formado pelos valores que aprendi com a minha mãe e com o meu pai, o seu Niva. Ambos vítimas da perseguição da ditadura.

Foi inspirado na luta de meus pais por uma sociedade mais solidária que, ainda calouro da Unicamp, participei do passo inicial para ajudar a humanizar os cursos de medicina em todo o país.

Também inspirado na luta de meus pais, coordenei a Juventude do PT - e assim militei ativamente nas primeiras campanhas presidenciais do nosso Lula.

Depois que concluí a minha especialização Médica na USP, fui aprovado no concurso do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina daquela universidade.

Uma vez mais, o espírito solidário herdado de meus pais falou mais alto: troquei a estabilidade e o conforto pelos riscos de trabalhar na Amazônia, para coordenar um núcleo da nossa Universidade de São Paulo.

Assim, dediquei o início da minha carreira médica ao combate à malária e a outras epidemias que, na época, dizimavam tribos indígenas e populações ribeirinhas.

Ter vivenciado a importância do médico em comunidades isoladas, foi fundamental para, mais tarde, eu poder ajudar a presidenta Dilma a implantar o Mais Médicos no Brasil.

Hoje sei, que foi ali, na distante Amazônia, que nasceram minha determinação e minha coragem para romper resistências e, assim, levarmos, em apenas 8 meses, médicos para 50 milhões de brasileiros.

MINHAS QUERIDAS COMPANHEIRAS,

MEUS QUERIDOS COMPANHEIROS,

É preciso inovação e garra pra mudar de verdade a Educação de São Paulo.

É preciso pensar a escola como uma política de juventude.

É preciso pensar a escola como Cultura, como Esporte, Diversidade, Saúde e Qualificação Profissional.

Infelizmente, hoje, o aluno em São Paulo sai com as notas necessárias para passar de ano, mas com pouco conhecimento para enfrentar a vida.

Os governos tucanos transformaram o que se chamava de progressão continuada numa verdadeira aprovação automática.

São 20 anos de desserviço a duas gerações de jovens.

Vamos acabar com isso.

Vamos mudar e instituir a aprendizagem continuada.

Para isso, vou convocar as nossas universidades estaduais e federais.

Em um estado que já tem academias para policiais e para agentes fiscais, as universidades nos ajudarão a criar a Academia do Professor, em todas as regiões paulistas, para formação, valorização e atualização permanentes do magistério.

Eu também quero banda larga de internet para 100% das escolas estaduais.

Quero oferecer aos jovens e professores as ferramentas de conexão com o mundo.

Todos sabemos que, quanto maior a participação dos professores, dos pais e do poder público na vida do aluno, melhor é a qualidade do aprendizado.

E vamos ampliar, de verdade a escola de tempo integral, com a ajuda das universidades.

Vamos usar seus laboratórios, blbliotecas e outros equipamentos para aumentar - e qualificar - a jornada escolar.

Quero fazer estas mudanças para concretizar em São Paulo 3 grandes princípios da educação pública:

* que o estudante tenha garantido seu direito de aprender.

* que os pais tenham garantidos seus direitos de acompanhar o desempenho dos filhos.

* E que o estado cumpra o dever de dar condições e valorizar os seus professores.

Digo pra vocês:

É mudar ou mudar!

Ou promovemos uma mudança de verdade na educação agora ou comprometeremos o futuro de milhões de jovens paulistas – e comprometer o futuro dos jovens é comprometer o desenvolvimento do estado.

AMIGAS E AMIGOS,

Hoje, São Paulo conta com uma rede qualificada de escolas técnicas, mas que oferece um número de vagas abaixo das necessidades da nossa juventude.

Faltou maior compromisso com a inclusão dos nossos jovens. Faltou maior compromisso com a inclusão dos mais pobres.

Foi Lula que expandiu as escolas técnicas federais no Brasil.

E Dilma criou o Pronatec.

Portanto, falar de ensino técnico é falar das conquistas do PT para os nossos jovens.

Comigo no governo de São Paulo, vamos trabalhar juntos para que o ensino profissionalizante alcance todos os paulistas e todas as regiões do nosso estado.

Nos lugares onde o governo do PSBD só criou presídios, nós vamos criar escolas técnicas.

Os presídios são necessários. Mas a grande diferença é que, enquanto os tucanos se preocupam com a chave para fechar portas, nós temos as CHAVES PARA ABRIR PORTAS E JANELAS DE OPORTUNIDADE para todas as pessoas.

Mudar de verdade a educação É PROMOVER DESENVOLVIMENTO REGIONAL para São Paulo e

oferecer ao povo paulista o PASSAPORTE PARA UMA VIDA MELHOR.

COMPANHEIRAS

E COMPANHEIROS DE JORNADA,

A minha formação pessoal e profissional me levou a valorizar imensamente as universidades onde estudei.

Tenho certeza que cada funcionário, cada professor e estudante da USP, da Unicamp, da Unesp e das FATECs também reconhecem:

suas universidades têm um papel decisivo para fazer São Paulo dar o salto necessário no século XXI.

Não por acaso, ficamos tão indignados com a notícia de que a nossa USP deixou de ser a melhor universidade da América Latina durante o governo tucano.

Isso precisa mudar.

Como alguém que se formou e serviu a Unicamp e a USP, quero realizar o sonho de que, nos próximos anos, saia das universidades paulistas a colaboração decisiva para que o Brasil descubra - e produza - uma vacina para a dengue;

para que o Brasil assuma a liderança tecnológica na produção de energia a partir do bagaço da cana;

para que o Brasil desenvolva os materiais usados na moderna indústria aeroespacial, do petróleo e do gás.

Para isso, reitores, professores e estudantes, as suas universidades terão todo o meu apoio como governador de São Paulo.

Quero realizar também o sonho de ver as nossas universidades paulistas cada vez mais repletas de jovens negros e de jovens vindos das escolas públicas. Ao contrário da época em que eu ainda era universitário.

Portanto, estamos juntos para mudar de verdade o acesso às universidades em São Paulo, como fizeram Lula e Dilma no Brasil.

Também podem anotar um outro compromisso meu: nunca vamos impor à USP, como fez o governo tucano, um reitor que não tenha sido uma escolha da comunidade.

Em meu governo, isso jamais acontecerá.

Já contei, em outros momentos, a história do famoso escritor Raduan Nassar. Durante 3 anos, ele tentou doar uma fazenda para o governo do estado, para instalação de uma Universidade, na região de Itapeva.

Sabem o que aconteceu?

Recebeu um NÃO como resposta, uma atitude de desprezo do tucanos. Eles subestimaram o poder da educação no desenvolvimento regional. Talvez por isso existam tão poucas Fatecs pelo interior do São Paulo.

Mas hoje, tem lá, na região de Itapeva, uma Universidade pública, porque Lula, Dilma - e o Haddad, quando ministro - valorizaram a oferta e o futuro dos nossos jovens.

Eles levaram uma Universidade federal para aquela região esquecida pelo governo do estado.

No meu governo será proibido desprezar qualquer ação de empresários, quaisquer propostas de ex-alunos, professores, líderes religiosos e comunitários ou de qualquer cidadão paulista em favor da educação.

Minhas amigas

e meus amigos,

não se governa bem um estado na base da picuinha com o governo federal e com prefeitos de outros partidos.

Isso é antigo e não contribui em nada para melhorar a vida das pessoas.

No meu governo, é claro que não deixarei seguir adiante o que estiver no caminho errado - como, por exemplo, as políticas de educação, da segurança e da saúde pública.

Mas não vou parar o que dá certo, movido por disputas partidárias, nem vou deixar de ajudar prefeituras por conta de divergências políticas.

Estamos unidos nessa jornada, amigos, pra mudar de verdade a forma governar e de fazer política em São Paulo.

AMIGAS E AMIGOS TRABALHADORES,

O cidadão paulista, por escolha ou nascimento, é o grande herói da nossa história.

Não é aceitável, portanto, que o povo que construiu o estado mais rico do país, veja esse mesmo estado perder participação na produção da riqueza nacional.

E, como se não bastasse, por falta de planejamento e ação, também veja São Paulo perder uma das condições mais elementares para a sustentação do desenvolvimento econômico: a oferta de água para a indústria, para a agricultura e para as pessoas.

Nós vamos pensar grande.

Vamos derrubar barreiras e criar as condições para que Sao Paulo se torne um corredor da inovação da indústria de alta tecnologia - e do capital empreendedor.

Um grande HUB, como dizem os ingleses.

Um PÓLO MUNDIAL DA ECONOMIA, DE DADOS E INFORMAÇÃO.

Vamos transformar São Paulo em um parque do entretenimento e da indústria criativa.

Vamos fazer de São Paulo uma POTÊNCIA NA PRODUÇÃO DE ENERGIA, DE ALIMENTOS E DA AGRICULTURA FAMILIAR.

Um Porto Seguro para o pequeno, médio e grande empreendedor .

São Paulo tem que ser a PORTA DE ENTRADA E SAÍDA DO EMPREENDEDOR BRASILEIRO PARA O MUNDO.

MEU CARO SENADOR SUPLICY,

A terra do Rio Tietê não pode ter menos de 1/3 do seu potencial de hidrovias utilizado.

O Estado Locomotiva não pode ter o transporte ferroviário como algo secundário.

São Paulo terá, em nosso governo, projetos de infra-estrutura bem feitos, sólidos, com retorno, segurança jurídica e ambiental, para buscarmos recursos do PAC e dos parceiros privados.

São Paulo, esse gigante, caro Suplicy, não pode andar apenas sobre pneus. Tem que andar sobre trilhos, rios e mar.

Nossa união é para acabar com a lentidão, a falta de planejamento e de investimento do governo tucano.

A nossa união é pra mudar de verdade a velocidade do desenvolvimento econômico paulista.

O povo paulista terá um estado mais forte e mais ágil.

Com Lula e Dilma aprendi a enxergar, no progresso das pessoas, o verdadeiro significado do desenvolvimento.

Por isso, acredito que vamos mudar São Paulo, de verdade, com essa forma humana de governar, que mudou - e segue mudando - o Brasil.

Hoje, o governo do estado mais rico do país, infelizmente, não trata a população das periferias e as regiões menos desenvolvidas da mesma forma que trata os lugares mais nobres.

Comparem a delegacia do Morumbi, por exemplo, com a delegacia de Guarulhos; a USP da cidade universitária com a USP da Zona Leste; as estaçōes do metrô da Paulista com a do trem em Francisco Morato; a infraestrutura do conjunto da CDHU com a do Minha Casa Minha Vida.

Aliás, São Paulo precisa de um governo que acredite que morar bem é um direito de todos.

Que cultura, esporte e lazer são direitos de todos.

São Paulo precisa de um governo que entenda que, defender os direitos do nosso povo fortalece o nosso estado.

Eles, até que tentaram nos copiar.

Fizeram um clone do Bolsa Família. Mas o nosso, o original, do PT, atende 700% mais famílias paulistas do que a cópia mal feita dos tucanos.

São Paulo precisa de um Governo que copie menos e que coopere mais.

São Paulo precisa de um governo mais humano e solidário.

MINHAS AMIGAS E MEUS AMIGOS,

Não se faz uma mudança verdadeira com um modelo de governo acomodado – e que se repete há tantos anos.

Também não se faz a mudança real e necessária para os paulistas ouvindo apenas os patrões e quem sempre defendeu os interesses dos mais ricos.

Somente nós podemos garantir a pujança econômica de São Paulo, sem descuidar dos mais pobres e dos mais necessitados.

Meus caros presidentes Rui Falcão

e EmIdio de Souza,

Este ano, vocês me escolheram para coordenar o programa participativo de governo do PT para o estado de São Paulo.

Para cumprir esta missão, fiz o que todo bom médico faz: escutei o coração das pessoas. Eu ouvi o povo. Ouvi seus problemas, suas preocupações e seus sonhos.

Ao seu lado, presidente Lula, quando fui seu ministro das Relações Institucionais, aprendi a importância do diálogo, da conversa olho-no-olho.

Transformamos divergências em consensos. Interesses diversos em objetivos comuns.

Dialogamos com empresários e trabalhadores, com ONGs, sociedade organizada e o pessoal da cultura; com lideranças políticas de todos os partidos e especialistas de cada área.

Foi a partir desde ambiente politicamente diverso e tecnicamente criativo, que nasceram programas, como: o Minha Casa Minha Vida, o Bolsa Família, o PAC, o marco regulatório do Pré-Sal, as leis das PPPs, dos Consórcios Públicos e da Igualdade Racial. Estes e tantos outros programas que mudaram o país e que promovem novas mudanças todos os dias.

Fico muito feliz, portanto, em estar construindo o nosso programa de governo para São Paulo da mesma forma que construímos as políticas de transformação para o Brasil:

Através do diálogo permanente com toda a sociedade, com os paulistas do interior, do litoral, das regiões metropolitanas.

Amassando o barro e percorrendo trecho de cada região - e não no conforto de gabinetes fechados e dos palácios.

A mudança que precisamos e vamos fazer na Segurança Pública requer coragem e decisão.

Máximo rigor contra o crime e total combate à impunidade.

Se para isso for necessária a parceria com o Judiciário, seremos ágeis em firmá-la.

Se for necessário aprovar novas leis, usaremos a força de São Paulo para isso.

Se for necessário sufocar o fluxo financeiro das facções criminosas,

vamos usar a parceria e a técnica da polícia federal.

Vamos integrar, de uma vez por todas, as mais de um milhão de câmeras privadas com o monitoramento das centrais de polícia.

Vamos valorizar os policiais , aumentar o efetivo nas ruas e exigir resultados.

Seremos implacáveis no combate à violência e à criminalidade.

Nas penitenciárias do estado, vamos separar os chefes do crime organizado e isolar os prisioneiros mais perigosos.

Também vamos fazer funcionar o bloqueio de celulares nas penitenciárias. Tecnologia pra isso já existe. O que não existe é pulso firme para fazer o que tem que ser feito. Mas isso vai mudar!

A Saúde em São Paulo requer solidariedade entre governos e muita vontade política. Requer união para mudar de verdade.

Juntos, governos federal, estadual e municipais, vamos reduzir filas e cuidar melhor das pessoas.

Nas boas famílias, não é assim? Todos se unem quando o assunto é saúde. Pai, mãe, tio, primo, amigos...

Nos bons governos, portanto, devem se unir a presidenta, o governador e os prefeitos para cuidar da saúde de quem precisa.

Mudar de verdade um estado como São Paulo não é fácil. Mas não é nada impossível.

Tenho experiÊncia e capacidade para fazer o que estamos nos propondo a fazer.

Para aproveitar bem o tempo, os recursos e a oportunidade que nosso estado oferece.

Dos 10 anos que passei ajudando Lula e Dilma, por exemplo, apenas 3 deles foram como ministro da Saúde.

Nesse pouco tempo, eu pude fazer tudo que era possível ser feito dentro das atribuições do ministério.

É sempre bom lembrar que a constituição brasileira, na área da saúde pública, divide responsabilidades também entre estados e municípios. Portanto, não cabe ao Ministério fazer sozinho tudo que é necessário para melhorar o atendimento às pessoas.

Mas 3 anos foram suficientes para fazer o que nunca foi pela saúde pública no Brasil.

Multiplicamos por mais de 15 vezes o número de beneficiados com remédios de graça para diabete, hipertensão e asma nas Farmácias Populares.

Inovamos e estimulamos a fabricação nacional dos mais avançados medicamentos e equipamentos hospitalares, antes importados.

Iniciamos uma nova política de prevenção, de cuidados e de enfrentamento ao crack. Uma política que produziu resultados como o Braços abertos do Haddad. A Rede de Atenção do Marinho, Grana e Donizete, no ABC.

Fizemos do Brasil o campeão internacional no combate à AIDS, à tuberculose, à malária, à hanseníase e na redução da mortalidade infantil.

Criamos o maior programa mundial de vacinação pública contra o HPV.

Mesmo tendo recebido o ministério com 40 bilhões de reais retirados da saúde do povo brasileiro, presidenta, juntos incrementamos o financiamento da saúde, sem aumento de impostos.

Criamos os 25% dos recursos do Pré-Sal para o setor.

Regulamentamos a emenda 29 da Constituição, o que assegura a aplicação integral dos percentuais destinados à saúde pela União, pelos Estados e Municípios.

Passamos a cobrar, com rigor, dos planos privados de saúde, os serviços realizados no SUS.

Criamos a LEI ROUANET DA SAÚDE, que reduz impostos para quem investe em instituições que tratam do câncer e de pessoas com deficiência.

TROCAMOS AS DÍVIDAS DAS SANTAS CASAS E DOS HOSPITAIS FILANTRÓPICOS POR MAIS E MELHOR ATENDIMENTO.

INOVAMOS NA REMUNERAÇÃO DA TABELA DO SUS. Ao invés de pagar por quantidade de exames, o SUS passou a pagar pela qualidade dos serviços e satisfação do usuário, incentivando a melhoria do atendimento.

Isso sem falar dos benefícios do MAIOR PROGRAMA DE PROVIMENTO DE MÉDICOS DA NOSSA HISTÓRIA, O MAIS MÉDICOS.

Essas mudanças são todas recentes, mas os benefícios já começam a ser sentidos.

Em apenas 3 anos, demos os passos mais corajosos e inovadores no governo federal para que a qualidade da saúde pública chegue ao padrão que os brasileiros exigem e merecem.

Esse trabalho me dá a certeza de que, EM 4 ANOS, VAMOS DAR OS PASSOS QUE SÓ O GOVERNO DO ESTADO PODE DAR - e que já deveria ter dado – para mudar de verdade a saúde pública de São Paulo.

Vamos fazer daqui um MODELO DE SAÚDE PARA OUTROS ESTADOS DO BRASIL.

É preciso TRANSPARENCIA PARA MUDAR DE VERDADE O METRÔ E O TREM de São Paulo.

Com maior fiscalização das parcerias e da realização das obras, nós vamos fazer com que o metrô seja, de fato, um transporte metropolitano.

Vamos levá-lo para fora dos limites da capital. Leva-lo até Guarulhos, até o ABC, até o Taboão da Serra E vamos fazer isso com rapidez. Não é possível que outras cidades do mundo, com o mesmo porte de São Paulo, consigam ampliar sua rede de metrô e nós fiquemos para trás.

Vamos criar também o BILHETE ÚNICO METROPOLITANO, para as regiões metropolitanas da capital, do litoral e do interior. Uma tarifa apenas nos transportes entre uma cidade e outra.

O povo paulista tem direito a um transporte público de maior alcance, mais confortável e mais barato.

Não podemos nos esquecer que São Paulo precisa de uma completa modernização na sua adminstração.

É preciso inovação para mudar de verdade o acesso ao serviço público de São Paulo.

É preciso quebrar tabus e pensar diferente. Acabar com a distância entre o Estado e o Cidadão. Saber que um governador tem que servir ao povo e não ficar como um rei, encastelado.

Um governador tem que sentir de perto as dores, o sofrimento, as dificuldades da população.

Uma das grandes dificuldades nessa relação do povo com o seu governante é a burocracia.

Se queremos mudar de verdade São Paulo, temos que desburocratizar o estado e colocá-lo em sintonia com o século 21.

Eu sou usuário frequente do mundo digital. Sei que muitos serviços públicos já poderiam funcionar exclusivamente online, para ajudar o cidadão a resolver demandas sem ter que se deslocar no trânsito.

Temos que usar todos os recursos tecnológicos disponíveis e a internet para aproximar o estado do cidadão e facilitar o seu acesso aos serviços essenciais.

Por isso, uma das primeiras providências será a implantação de um sistema que vai colocar os serviços públicos ao alcance de todos os paulistas.

Vamos começar pelo site do governo, com a tecnologia, as informações e a transparência necessárias.

Você vai ter acesso rápido a serviços públicos através de tablets, celulares ou pelo computador.

Quer conseguir sua bolsa de estudos? Vai estar na mão.

Quer matricular seu filho numa escola estadual pela internet? Vai estar na mão.

Também vamos criar o Poupa Tempo Empresarial, para reduzir drasticamente o prazo de abertura das empresas.

Um processo que hoje demora 60 dias, em meu governo será feito em menos de 6 horas.

O modelo que já é sucesso em Osasco será expandido para todo o estado. São Paulo agradece, caro Emídio e caro Lapas.

Facilitar a vida e encurtar a distância entre o cidadão e o Estado serão palavras de ordem em nosso governo.

Sou apaixonado pelo meu trabalho. A oportunidade que tenho de melhorar a vida das pessoas como servidor público sempre me emocionou.

Por isso, não há como explicar o entusiasmo que sinto em ter a chance de ser governador e poder servir o estado que tanto amo.

Quero ser governador para que as mães paulistas possam ter paz e tranquilidade enquanto seus filhos estão na rua.

Quero ser governador para que os pais possam ter certeza de que seus filhos estão sendo bem preparados para a vida.

Quero ser governador para que nenhuma filha ou filho dessa terra sinta-se sozinho e abandonado diante da fragilidade de uma doença.

Quero ser governador para construir um estado que acolhe e não desampara. Que reduz os limites impostos na vida de pessoas com deficiência.

Que abraça e protege suas crianças, suas mulheres e seus idosos.

Que apoia e incentiva a sua juventude.

Que planeja e abre portas para o futuro.

Que estimula, atrai e apoia o empreendedor.

Quero ser governador para construir um estado melhor para todos.

Não importa se petista ou se tucano. Não importa a crença nem a classe social.

Não importa a cor partidária, nem a cor da pele.

Não vou admitir neste estado qualquer manifestação velada - ou não - de racismo. Nenhuma violação dos direitos humanos.

Tenho a convicção de que São Paulo e os paulistas podem mais - e melhor - do que aquilo que nos tem oferecido os 20 anos do PSBD.

MINHA GENTE QUERIDA,

Vamos libertar São Paulo de suas amarras.

Sou um de vocês.

Lutaremos, lado a lado, por um estado de São Paulo à altura de nossas capacidades e dos nossos sonhos.

Vamos gritar juntos:

Viva São Paulo! Viva!

Até a vitória !!!!

Muito obrigado."

  • Tags: