'Investigação é uma farsa total '

Amigo de JK, Serafim Jardim, hoje com 76 anos, diz que a investigação sobre a morte do ex-presidente "é uma farsa total".

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

20 Maio 2012 | 03h03

Havia motivo para matar JK? O ex-presidente mantinha contatos políticos ou de alguma forma trabalhava para voltar ao poder?

O Juscelino era um democrata. Estava tranquilo e sossegado. Agora, claro, incomodado com a ditadura. Queria ver voltar novamente a democracia. E já havia alguns da área militar que queriam conversar com ele. Esses da linha-dura tinham medo de ele voltar. Acredito que quem preparou a morte foi esse pessoal.

Que avaliação o senhor faz da investigação?

É uma farsa total. Peguei o (advogado) Paulo Castelo Branco e o perito Alberto Carlos de Minas e fomos para Resende. Pedimos vista do processo e aí vimos que era uma farsa. Só a Resende fui cinco vezes, mas foi tudo arquivado.

Por que o empenho em reabrir a apuração sobre o acidente?

Não estou partindo para revanchismo. Estou tentando mostrar que, para mim, o presidente foi morto. Eu quero simplesmente a verdade. A democracia tem que mostrar quem colaborou para a morte de Juscelino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.