1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Governo do PT terminou antes da hora, diz Aécio ao falar de PIB

ELIZABETH LOPES E RICARDO CHAPOLA - O Estado de S. Paulo

29 Agosto 2014 | 14h 49

Para o candidato do PSDB à Presidência, resultado da economia no segundo trimestre, divulgado nesta sexta, reflete falhas da atual gestão

Sérgio Castro/Estadão
Durante a entrevista, o tucano criticou duramente o ministro da Fazenda, e afirmou que Guido Mantega "não tem autoridade para questionar quem quer que seja"

São Paulo - O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesta sexta-feira, 29, que o desempenho do PIB brasileiro, divulgado nesta manhã, mostra que o governo do PT "terminou antes da hora". "Hoje é um dia triste para o Brasil, que acaba de entrar em recessão técnica: pelo segundo trimestre consecutivo temos um PIB negativo. O governo do PT terminou antes da hora", disse.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil sofreu variação negativa de 0,6% no segundo trimestre de 2014 comparado ao resultado dos três meses imediatamente anteriores, segundo dados do IBGE. Para o instituto, o resultado não configura recessão técnica.

Ao avaliar a gestão do atual governo, Aécio disse que o legado da gestão petista será de crescimento e investimento baixos combinados com inflação e juros altos. "Há perda crescente da confiança da economia, com impacto nos investimentos e empregos", considerou o tucano, durante visita ao lado do governador de São Paulo e candidato à reeleição pelo PSDB, Geraldo Alckmin (PSDB), nas obras do monotrilho no bairro de Vila Prudente.

Durante a entrevista, o tucano criticou duramente o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e afirmou que Mantega "não tem autoridade para questionar quem quer que seja", em resposta às críticas do ministro à gestão tucana na economia e ao seu principal colaborador econômico, o ex-presidente do BC Armínio Fraga - nesta semana apresentado pelo tucano, se for eleito, como seu futuro ministro da Fazenda.

O candidato voltou a dizer que o modelo de gestão da economia fracassou. "É triste que, num final de governo, um ministro da Fazenda entregue um quadro extremamente perverso ao povo brasileiro, de crescimento baixo, recessão a partir de hoje e inflação saindo do controle", destacou, voltando a afirmar que, em razão deste cenário, Mantega não tem autoridade para fazer tais críticas.

Nas críticas a Mantega e ao governo do PT, o candidato lembrou que o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso, ao assumir a Presidência da República, pegou uma inflação de 1.600% ao ano e a reduziu para 7%. Ele também rebateu as críticas feitas por petistas de que FHC entregou ao ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva uma inflação em alta. "Se a inflação aumentou para 12% no final de 2002 foi em razão do risco Lula", ironizou o candidato do PSDB.

Eleições 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo