1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Feldman isenta Marina de responsabilidade sobre uso de jato que matou Campos

Coordenador diz que comando era feito pelo PSB, sem participação da Rede, porque eles tinham 'humildade' do então papel de vice

Feldman isentou Marina e as pessoas que compõem o projeto de partido de responsabilidade sobre a gestão dos recursos de campanha até então
Feldman isentou Marina e as pessoas que compõem o projeto de partido de responsabilidade sobre a gestão dos recursos de campanha até então

SÃO PAULO - O coordenador da campanha presidencial de Marina Silva, Walter Feldman, afirmou nesta quarta-feira, 27, que o grupo da Rede Sustentabilidade acompanha com "muita atenção" as investigações em relação ao jatinho que era usado por Eduardo Campos, mas que tem confiança no PSB e no candidato que morreu no acidente aéreo. "Acreditamos absolutamente na dignidade e na correção do querido Eduardo Campos", disse há pouco em entrevista ao Broadcast Ao Vivo.

Para Feldman, as investigações da Polícia Federal sobre o caso devem prosseguir sem precipitação. "Neste momento, com muito cuidado, muita atenção, não devemos extrapolar nem a denúncia nem a aceleração das respostas, porque elas são fundamentais e esperamos que o PSB vá apresentá-las todas."

Questionado sobre como era o acompanhamento, pela Rede, do uso da aeronave antes do acidente que vitimou Campos, Feldman isentou Marina e as pessoas que compõem o projeto de partido de responsabilidade sobre a gestão dos recursos de campanha até então.

"Todo comando era feito pelo PSB, pelo comitê financeiro, no qual não havia uma presença efetiva por parte da Rede", afirmou, justificando que o grupo tinha clareza e "humildade" do então papel de vice na chapa.

Feldman disse ainda considerar natural que haja uma demora nas respostas providas pelo PSB em uma situação como essa. "Às vezes não é possível ter respostas imediatas, até porque é provável que muita informação tenha ficado nos destroços daquele avião", disse Feldman.