1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Família entra na Justiça para impedir uso da imagem de Campos por adversário

Ricardo Brandt, enviado especial - O Estado de S. Paulo

18 Agosto 2014 | 13h 10

Coligação Frente Popular quer evitar que candidato do PTB ao governo de Pernambuco, Armando Monteiro, explore proximidade com ex-governador

Felipe Rau/Estadão
Armando Monteiro (PTB) deve explorar sua proximidade com Campos para atrair votos

Atualizado às 16h46

 

RECIFE - A coligação Frente Popular, em Pernambuco, encabeçada pelo PSB, entrou na Justiça Eleitoral com uma medida cautelar para proibir o uso da imagem do ex-governador e candidato a presidente Eduardo Campos, morto na última quarta-feira, 13, na campanha do adversário direto, Armando Monteiro (PTB).

A ação foi movida em nome da viúva, Renata, e dos filhos. Líder nas pesquisas, com ampla vantagem sobre o candidato do PSB, Paulo Câmara, Monteiro deve explorar sua proximidade com Campos durante seus dois governos em Pernambuco na campanha para atrair os votos do PSB.

Monteiro e o PTB integraram as duas gestões de Campos (2006-2010 e 2011-2014). Só deixaram a aliança quando Campos decidiu lançar Câmara sem consenso no grupo. Reeleito em 2010 com mais de 80% dos votos, o ex-governador morto era considerado o maior puxador de votos no Estado.

O próprio Campos já havia pedido para que fosse elaborada uma ação em seu nome prevendo esse uso de imagem. Com sua morte, a família decidiu acionar a Justiça.

Nesta segunda-feira, 18, a Frente Popular está reunida em um salão de eventos em Recife. A viúva Renata vai conduzir o encontro e pedir empenho para a campanha de Câmara.

O irmão do ex-governador, o advogado Antonio Campos, afirmou que a ação somente visa impedir que Armando Monteiro Neto faça uso indevido de imagens e não interfere nas campanhas presidenciais de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). " No momento a iniciativa se limita ao âmbito estadual", disse Antonio Campos.

Eleições 2014