Em vez de pedágio, Alckmin quer duplicar corredor de ônibus

Candidato tucano afirmou ainda que uma outra solução é retirar catracas e transferir para os terminais

Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br, e Elizabeth ,

02 Setembro 2008 | 13h13

O candidato do PSDB à Prefeitura da Capital, Geraldo Alckmin, afirmou que não pretende implantar o pedágio urbano na cidade para resolver os problemas do trânsito, caso seja eleito. Em sabatina promovida nesta terça-feira, 2, pelo Grupo Estado, o tucano disse que sua opção para a melhorar o caos no trânsito será o investimento no transporte de alta capacidade, como ônibus. E propôs a criação de corredores de ônibus com ultrapassagem e a instalação de semáforos inteligentes. O vídeo com a sabatina pode ser visto da TV Estadão (clique aqui).   Veja também: Especial: Perfil de Geraldo Alckmin  Temos mais chances no 2º turno do que Kassab, diz Alckmin Vereador não vai comandar subprefeitura, avisa Alckmin Alckmin critica falta de planejamento urbano na cidade Veja galeria da sabatina de Geraldo Alckmin  Blog: confira as principais declarações de Alckmin na sabatina Veja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro "Governar é escolher. Nossa cidade é uma das mais motorizadas do mundo. O transporte coletivo de alta capacidade é o caminho para solucionar a questão do trânsito", disse Geraldo Alckmin ao ser questionado sobre o tema. O candidato tucano afirmou que, ao invés de pedágios urbanos, pretende criar corredores de ônibus com ultrapassagem, além de semáforos inteligentes.   "Vamos fazer o ônibus andar. Nosso corredor de ônibus não tem ultrapassagem. Os veículos ficam encurralados. Eu estudei em Bogotá e em Curitiba. Os corredores com ultrapassagem e semáforos inteligentes vão dar prioridade para ônibus. Esses sistemas irão funcionar de maneira diferente dependendo da hora".   Alckmin afirmou ainda que uma outra solução é, como em Bogotá, retirar as catracas de dentro dos ônibus e transferir para os terminais. "Em Bogotá, o sistema é mais eficiente e mais barato. Aqui, é mais caro e ineficiente. Nós vamos investir para valer".   Questionado se o alargamento dos corredores dos ônibus implicaria em desapropriação, Alckmin afirmou que o ideal seria que os corredores tivessem pista dupla, mas isso "não é possível. Porém, nos terminais tem que ter pista dupla e se tiver de desapropriar, não tem jeito".     As sabatinas do Grupo Estado têm transmissão ao vivo pela TV Estadão. Na última segunda, a série com os candidatos à Prefeitura de São Paulo foi aberta com a petista Marta Suplicy. Pela ordem, virão em seguida o prefeito Gilberto Kassab (DEM) amanhã, Paulo Maluf (PP) na quinta, Soninha Francine (PPS) na sexta e Ivan Valente (PSOL), que fechará o ciclo na próxima segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.