1. Usuário
Assine o Estadão
assine
quarta-feira 01/04/15 19:27

Maioria perdeu esperança de o governo melhorar

Ao alinharmos as pesquisas Ibope e Datafolha sobre avaliação do governo Dilma Rousseff, vemos que repetiu-se em 2015 o fenômeno de acumulação de tensões e explosão abrupta da insatisfação – como ocorrera em 2013. A diferença é que, desta vez, a avalanche foi mais ampla e profunda. Atingiu camadas que antes resistiram à onda de

Ler post
sábado 14/03/15 19:53

O ponto de não retorno

Mais de uma pesquisa telefônica sobre o governo Dilma Rousseff encontrou, nas últimas semanas, taxas de “ótimo/bom” inferiores a 10% e, mais grave, maioria de avaliações “ruim/péssimo”. Em todas, o saldo de popularidade da presidente supera os 40 pontos negativos entre quem tem telefone fixo em casa. Quanto mais recente a pesquisa, maior o déficit.

Ler post
segunda-feira 02/03/15 19:59

Um bombeiro para Dilma

Quando o preço sobe nas bombas e gôndolas, aumenta o risco de ele subir também no Congresso. É literalmente uma matemática de padaria: um governo impopular está condenado a pagar mais caro para conseguir o que quer e – principalmente – evitar o que não quer que deputados e senadores façam. Foi assim com José

Ler post
quarta-feira 17/12/14 18:56

Ibope: Popularidade de Dilma volta ao nível pré-campanha eleitoral

Ibope Dilma

Como costuma acontecer quando o governante é um dos candidatos, a popularidade da presidente Dilma Rousseff (PT) melhorou entre setembro e outubro, durante a campanha eleitoral – o suficiente para reelegê-la. Acabada a propaganda diária no rádio e na TV, a taxa de bom e ótimo presidencial voltou ao patamar pré-campanha. É o que mostra

Ler post
sábado 25/10/14 20:15

Abstenção volta a importar para definição do resultado

Dilma Rousseff (PT) é favorita para ganhar neste domingo. É o que mostram o Ibope e – ainda que na margem de erro – o Datafolha. Mas é possível garantir que a presidente vai se reeleger? Não. O movimento pró-Dilma parou dois dias antes da eleição – numa campanha marcada pela volatilidade do eleitorado. Voltou

Ler post
quinta-feira 23/10/14 21:28

Sem-partido batem recorde após campanha virulenta de 2014

Preferência por partidos políticos (Ibope + Datafolha)

A campanha eleitoral de 2014 chega ao fim com a maior taxa já registrada de brasileiros sem preferência por nenhum partido político. São hoje 73% do eleitorado, a maior proporção desde 1988, quando começa a série histórica do Ibope. Em agosto de 2013, logo após os protestos, 62% não tinham preferência partidária. Desde então, os

Ler post
quinta-feira 23/10/14 19:13

Alta homogênea de Dilma diminui divisão no País, mostra Ibope

O movimento do eleitorado em direção à candidatura de Dilma Rousseff (PT) ao longo da última semana foi homogêneo: ela cresceu em quase todos os segmentos demográficos e em quase todas as regiões. Além de diminuir a divisão geográfica e social do eleitorado, é sinal de que o crescimento da petista é consistente. As pesquisas

Ler post
quarta-feira 22/10/14 04:27

Datafolha: Dilma conta com a inércia; Aécio, com o imponderável

Dilma Rousseff (PT) oscilou mais um ponto e segue em alta. Segundo o Datafolha divulgado nesta madrugada de quarta, ela foi de 43% na semana passada, para 46% na segunda-feira e chegou agora a 47% dos votos totais. Aécio Neves (PSDB) ficou nos mesmos 43%, para onde caiu dos 46% alcançados no começo do segundo

Ler post
quarta-feira 15/10/14 20:55

Números parecidos escondem eleitorados cada vez mais diferentes

A divisão do eleitorado vai além dos 51% para Aécio Neves (PSDB) a 49% de Dilma Rousseff (PT). É a oposição Nordeste versus São Paulo, dos centros ricos das metrópoles versus suas periferias, dos contrários ao Bolsa Família versus os beneficiários do programa. Desde 2006 que essa divisão é visível no mapa do Brasil. Em

Ler post
quinta-feira 09/10/14 21:36

Ibope projeta 2º turno mais disputado desde a redemocratização

O empate técnico de 51% a 49% entre Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) projeta o segundo turno mais disputado entre candidatos a presidente em uma eleição no Brasil após a redemocratização. Os dois pontos que separam o tucano da petista são a menor diferença já encontrada pelo Ibope na primeira rodada de pesquisas

Ler post