1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

Roldão Arruda é jornalista e repórter da editoria de política do Estadão. Dedica-se sobretudo à cobertura de temas relacionados a direitos humanos e questões de movimentos sociais. Já trabalhou nos jornais Movimento e Folha de S. Paulo e na revista Veja. É autor do livro 'Dias de Ira'.
quarta-feira 01/10/14 13:57

Justiça Federal rejeita denúncia contra Ustra

Dida Sampaio/Estadão - 10.05.2013

A Justiça Federal em São Paulo acaba de rejeitar a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra, na qual ele foi apontado como responsável pela morte do jornalista e militante político Luiz Eduardo da Rocha Merlino, em 1971. De acordo com a decisão proferida ontem, 30, pelo juiz substituto Rubem David Müzel, qualquer possibilidade de punição do militar foi extinta em decorrência da Lei da Anistia de 1979. Merlino, segundo a denúncia, ...

Ler post
segunda-feira 29/09/14 15:30

STF suspende ação contra militares no caso Rubens Paiva

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta segunda-feira, 29,  suspender a ação penal que tramita na Justiça Federal do Rio contra os cinco militares acusados de envolvimento no desaparecimento e na morte do deputado federal Rubens Paiva, em janeiro de 1971. Trata-se de uma decisão liminar. Ela atende a a uma reclamação protocolada a semana passada no STF pela defesa dos militares, na qual se alega que a decisão do juízo de primeiro grau afronta a autoridade ...

Ler post
domingo 28/09/14 21:48

Para empresário, Dilma e Marina representam “perigo esquerdista”

29tfp

O Instituto Plínio Corrêa de Oliveira divulgou um comunicado sobre a reta final das eleições para a Presidência da República, com o seguinte título: O Brasil Ante o Perigo Esquerdista e o Vácuo Político. No texto, a organização lamenta que o pleito esteja se encaminhando, segundo as pesquisas de intenção de voto, "para uma disputa entre dois projetos de esquerda". O comunicado leva a assinatura do empresário Adolpho Lindenberg, presidente do instituto, formado por remanescentes da antiga Sociedade Brasileira de ...

Ler post
sexta-feira 26/09/14 00:36

‘Candidatos são omissos sobre aids’, afirma diretor de ONG

25parker

O Brasil registrou um preocupante aumento de 11% na taxa de infecções pelo vírus HIV no período de 2005 a 2013, segundo relatório divulgado recentemente pela Organização das Nações Unidas (ONU/Unaids). Essa foi uma das razões que levaram a Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia) a encaminhar a cada candidato à Presidência da República uma indagação sobre propostas de ações para conter a epidemia. Só receberam resposta de Aécio Neves, candidato pelo PSDB.

O silêncio dos outros foi considerado espantoso pelo diretor da ONG, o antropólogo Richard Parker. Para ele trata-se de uma grave omissão, considerando a gravidade da epidemia de aids no País.

O que levou a Abia a encaminhar a pergunta aos candidatos à Presidência?

A aids é a questão de saúde que mais dominou os debates sobre saúde pública nos últimos 25 anos. É o setor no qual mais tem sido gasto dinheiro, onde se elaboraram mais políticas públicas. Não há dúvida de que foi o grande motor do aumento dos gastos neste período. Trata-se, portanto, de uma questão para ser debatida publicamente, mas que não está aparecendo nos debates eleitorais.

25parker

Qual foi a reação dos candidatos?

Só tivemos retorno da campanha do Aécio Neves. Dilma Rousseff, Marina Silva e Pastor Everaldo não responderam. Nem o Eduardo Jorge e a Luciana Genro, que, eu achei, seriam os candidatos com mais coisas a dizer sobre o tema. Fiquei surpreso nesses casos. Em relação à Dilma eu já esperava algo mais ou menos assim.

Por que?

O governo dela fugiu do enfrentamento da questão, como tem sido denunciado de maneira sistemática pelos movimentos sociais. Um exemplo disso foram as campanhas de saúde que não aconteceram. A campanha contra a homofobia nas escolas foi censurada, a campanha de prevenção de aids voltada para homens que fazem sexo com homens também não saiu, assim como a campanha destinada à prostitutas. Foi uma coisa atrás da outra, ano após ano. Não nos surpreendemos quando a ONU anunciou recentemente que a epidemia está crescendo no Brasil, principalmente entre jovens gays, homens que fazem sexo com homens e pessoas trans. A falta de uma resposta da campanha da Dilma é consistente com a maneira como o governo dela tratou a aids.

E quanto à segunda colocada nas pesquisas, Marina Silva?

Não sei se não respondeu porque a campanha dela não se preocupa com o assunto. Não sei se está evitando polêmica depois daquela questão das políticas LGBT que ela anunciou e depois retirou do programa. Não sei se foi a preocupação com a bancada evangélica e com o voto evangélico, repetindo o que acontece com a Dilma. Seja qual for o motivo, o silêncio impressiona, porque, como já disse, se trata de um dos principais assuntos de saúde pública no Brasil e no mundo.

O programa dela aborda a questão LGBT.

O programa da Marina não menciona aids nem HIV em nenhum momento. Fiz uma procura no documento e encontrei muita coisa sobre cidadania, mas nada sobre a aids.

Você acha que os setores mais conservadores estão conquistando mais espaço?

Os movimentos sociais vem denunciando há alguns anos uma onda de conservadorismo, vinculada ao avanço de grupos religiosos conservadores. Isso tem tido um impacto grande nas políticas públicas. No governo federal, nos Estados e municípios verifica-se um claro retrocesso, um medo de políticos e administradores de enfrentarem a questão. Isso deixa claro que a sociedade brasileira deve se mobilizar urgentemente para exigir uma resposta efetiva à epidemia.

O que candidato do PSDB respondeu foi satisfatório para a Abia?

A resposta mostra uma certa seriedade na maneira como sua campanha aborda a questão. O fato de se posicionar já é um reconhecimento da seriedade da epidemia. É coerente com os governos do PSDB. No governo de Fernando Henrique Cardoso a aids teve um enfrentamento razoável. Nesse sentido, a campanha do Aécio marcou pontos.

____________________________________

A informação sobre os candidatos e a pergunta da Abia está na última edição do boletim informativo da entidade.  O boletim também contém a íntegra da resposta enviada pelo comitê de campanha de Aécio, que foi resumida da seguinte maneira:

Irá promover a retomada da prioridade para a manutenção do Programa HIV/AIDS por meio da Rede Brasil Prevenção e Tratamento das DST/AIDS e Hepatites Virais (Rede). A Rede será estruturada, segundo o texto enviado à Abia, “a partir de três frentes de ação: qualificar o atendimento realizado pela atenção básica dos municípios, criar ou fortalecer os Serviços de Atenção Especializada em HIV/AIDS, DST e hepatites virais e organizar a atenção hospitalar”.

____________________________________

Ler post
quarta-feira 24/09/14 01:18

Fernando Morais integra Comissão da Verdade da Prefeitura

Será instalada amanhã, dia 25, a Comissão da Memória e da Verdade da Prefeitura de São Paulo. Durante o ato, o prefeito Fernando Haddad deve anunciar os nomes dos cinco responsáveis pela condução dos trabalhos do grupo. O mais conhecido é o jornalista e escritor Fernando Morais, autor dos livros A Ilha, Corações Sujos, Chatô  - O Rei do Brasil e Olga, entre outros. Como político, Morais foi deputado estadual e dirigiu as secretarias de Cultura e Educação, nos governos de ...

Ler post
sexta-feira 19/09/14 16:14

‘Opções conservadoras do eleitorado não casam com protestos de 2013′

18PROTESTO

Pesquisas sobre intenção de voto apontam que, entre os candidatos preferidos dos eleitores em São Paulo, aparecem os nomes de Tiririca (PR), Paulo Maluf (PP), Celso Russomanno (PRB) e Pastor Marco Feliciano (PSC). Maluf e Russomanno são figuras tradicionais da política, Tiririca se caracteriza como político folclórico e Feliciano tem o apoio de um eleitorado conservador, ligado a igrejas evangélicas. A pergunta que se faz é: o que esse tipo de candidato tem a ver com a grande manifestação de ...

Ler post
quarta-feira 17/09/14 21:42

Cresce número de candidatos indígenas

Por determinação da Justiça Eleitoral, os candidatos a cargos no Legislativo e no Executivo passaram neste ano a registrar na ficha de inscrição se são brancos, negros, índios, pardos ou amarelos. É uma autodeclaração, assim como a que se faz no Censo Demográfico. Até agora, das 26.156 pessoas inscritas para disputar cargos que vão de presidente a deputado estadual, 86 se declararam indígenas. Isso representa 0,33% do total. Não é muito, quando se considera que no Censo de 2010 o número ...

Ler post
segunda-feira 15/09/14 15:08

Eleitor ainda vota no escuro, diz juiz sobre doações eleitorais

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral decidiu nesta segunda-feira, 15, encaminhar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido para que reveja a atual interpretação da Lei Eleitoral, no capítulo que trata das doações às campanhas. Segundo o juiz Marlon Reis, integrante do movimento, o eleitor brasileiro ainda vota no escuro em relação aos nomes dos financiadores dos candidatos. Isso ocorre, de acordo com suas explicações, porque o grosso das doações é feita no último mês de campanha, quando não ...

Ler post
quinta-feira 11/09/14 19:14

“STF terá que rever decisão sobre anistia”, diz procuradora

A decisão do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região, que negou o pedido de habeas corpus para os cinco militares da reserva acusados da morte do ex-deputado Rubens Paiva, está sendo considerada histórica. Foi a primeira vez que um colegiado de magistrados de 2.ª instância afirmou que um crime cometido por agentes de Estado no período da ditadura não está acobertado pela Lei da Anistia de 1979. O relator do caso, desembargador federal Messod Azulay, lembrou que o Brasil é ...

Ler post