1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

Roldão Arruda é jornalista e repórter da editoria de política do Estadão. Dedica-se sobretudo à cobertura de temas relacionados a direitos humanos e questões de movimentos sociais. Já trabalhou nos jornais Movimento e Folha de S. Paulo e na revista Veja. É autor do livro 'Dias de Ira'.
quinta-feira 28/11/13 23:03

Para general que combateu no Araguaia, corpos de guerrilheiros não serão encontrados

Em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, o general de brigada Álvaro de Souza Pinheiro, hoje na reserva, disse que considera "um desperdício de tempo" a busca de corpos de militantes de esquerda desaparecidos na Guerrilha do Araguaia. "É uma missão inglória, um desperdício de tempo, porque não vão chegar a lugar nenhum", declarou. Pinheiro participou das operações de combate ao grupo do Partido do Comunista do Brasil (PC do B) que pretendia implantar um foco guerrilheiro na região do Araguaia, ...

Ler post
quarta-feira 27/11/13 21:29

Comissão Nacional da Verdade quer tombamento de prédio que abrigou centro de tortura

Representantes da Comissão Nacional da Verdade visitaram nesta quarta-feira, 27, em São Paulo, a sede do antigo  DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna), do 2.º Exército. O objetivo da visita foi reforçar os pedidos já feitos para o tombamento do conjunto de edifícios, localizado na Rua Tutóia, no bairro do Paraíso, zona sul de São Paulo. Os secretários estaduais de Segurança, Fernando Grella Vieira, e da Cultura, Marcelo Araújo, acompanharam a visita. ...

Ler post
quarta-feira 27/11/13 20:40

Arcebispo culpa governo pela situação de insegurança jurídica em Mato Grosso do Sul

272dimas

Em carta aberta às autoridades, o arcebispo de Campo Grande (MS), dom Dimas Lara Resende, disse nesta quarta-feira, 27, que acompanha com preocupação  o agravamento dos conflitos fundiários no Estado. Para ele, a tensão decorre da "demora das autoridades competentes em apresentar uma solução concreta para a situação dos povos indígenas mobilizados por suas terras e dos produtores rurais que têm suas propriedades reivindicadas como de ocupação tradicional pelos índios". Dom Dimas lembrou que, em maio, representantes do governo federal estiveram no ...

Ler post
quarta-feira 27/11/13 00:30

Ex-governador Paulo Egydio defende golpe que derrubou João Goulart

266egydio

O ex-governador Paulo Egydio Martins defendeu, em depoimento à Comissão da Verdade da Câmara de Vereadores de São Paulo,  o golpe militar que depôs o presidente João Goulart, em 1964.

Segundo o político e empresário que governou São Paulo entre 1975 e 1979, o objetivo do golpe foi evitar o avanço do comunismo no Brasil: “Como participei desde o início da conspiração, posso dizer que a derrubada de um presidente constitucionalmente eleito era para não haver a comunização do Brasil.”

Teria sido uma espécie de anti-golpe, na versão de Martins: “Esperava-se, pelos pronunciamentos do Jango, principalmente aquele que criou os generais da espada de ouro, a constituição de um Estado socialista sindicalista, nos moldes de Cuba.”

Com 85 anos, o ex-governador citou detalhes da conspiração entre civis e militares que resultou no golpe do dia 31 de março de 1964. Lembrou que, na época, quando ocupava o cargo de 1.º secretário da Associação Comercial de São Paulo, chegou a procurar o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

No encontro, apresentou a ele, em nome dos conspiradores, uma proposta para que liderasse o movimento contra Jango. O político mineiro teria recusado por não acreditar no sucesso da empreitada. Ele achava que Goulart contava com um forte esquema militar. 

Ao ser indagado, porém, se é correto dizer que o Brasil foi submetido a uma ditadura civil e militar, o ex-governador negou. Na avaliação dele, os militares traíram os civis. “A conspiração civil e militar não era para a implantação de uma ditadura. Nunca foi”, afirmou. “Não sabíamos que nossa participação seria usada para uma ditadura militar que durasse mais de vinte anos.”

Com a reorganização partidária imposta pela ditadura, Martins se filiou à Arena, partido que dava sustentação política ao governo. Era diretor da empresa canadense Alcoa quando foi chamado pelo general Castello Branco, primeiro presidente militar, para chefiar o Ministério da Indústria e Comércio.

Mais tarde o general Ernesto Geisel (1974-1979) o escolheu para governar São Paulo. Seu nome é frequentemente associado ao processo de distensão política que levou à saída dos militares do poder.

Ao final do depoimento na Câmara de Vereadores, nesta terça-feira, 26, ele disse que não se arrepende de ter conspirado contra o governo democraticamente eleito: “Agora que deu certo, eu diria que faria tudo de novo. Basta ver o que está acontecendo com as repúblicas socialistas proletárias do mundo.”

Acompanhe o blog pelo Twitter – @Roarruda 

 

Ler post
segunda-feira 25/11/13 18:51

Associações indígenas e ONGs querem intervenção federal em Mato Grosso do Sul

Aumentou nos últimos dias o nível de tensão entre grupos indígenas e produtores rurais de Mato Grosso do Sul, por causa de disputas fundiárias. Declarações belicosas e ameaças estão se tornando tão frequentes que um grupo de organizações indígenas e indigenistas quer a imediata intervenção federal no Estado. O pedido foi encaminhado à presidente Dilma Rousseff, na sexta-feira, por meio de carta aberta. O documento foi assinado por 17 organizações, encabeçadas pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), ligado à Conferência Nacional dos ...

Ler post
domingo 24/11/13 16:37

Ao produzir aplicativo sobre a ditadura, estudantes valorizam a democracia

233bperetz

Os estudantes do 9.º ano do Colégio I. L. Peretz  lançaram na sexta-feira, 22, em São Paulo, um aplicativo sobre o período da ditadura militar no Brasil. O lançamento ocorreu no museu que abriga o Memorial da Resistência, no Bairro da Luz, e teve o apoio do Instituto Vladimir Herzog. Entre as personalidades convidadas para o evento encontrava-se Margarida Genevois, uma referência no País na área de defesa dos direitos humanos. Ela presidiu a a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese ...

Ler post
quinta-feira 21/11/13 21:45

Santa Catarina compra terras de pequenos agricultores para alocar índios

214guarani

O governo de Santa Catarina decidiu comprar uma área de 800 hectares, no valor de R$ 8 milhões, para abrigar um grupo de índios guaranis. A compra é resultado de uma negociação que vinha se desenrolando há dois anos e deve por fim a um conflito que se arrasta há treze. Os proprietários do terreno, localizado na linha Riqueza do Oeste, em Bandeirante, assinaram na quarta-feira, 20, em Florianópolis, o contrato de venda da área. De acordo com informações da ...

Ler post
quarta-feira 20/11/13 21:47

Igreja Universal é condenada por demolir imóveis históricos em Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, a Igreja Universal do Reino de Deus foi condenada a pagar uma indenização superior a R$ 33 milhões por destruir três casas consideradas de valor histórico. Localizadas na região central da cidade, as casas foram demolidas em 2005 para a ampliação da Catedral da Fé. Por decisão da juíza da 34.ª Vara Cível da Capital, Maria Aparecida Consentino Agostini, o dinheiro deverá ser aplicado na recuperação, preservação e promoção de bens culturais de Belo Horizonte. Como se trata ...

Ler post
quarta-feira 20/11/13 17:14

Com ações judiciais, MPF exige respeito a direitos de quilombolas

20quilombolas

Ministério Público Federal (MPF) acaba de ajuizar sete ações civis públicas que envolvem a questão da posse e de melhorias nas terras de quilombolas no País. Apresentadas na data em que se comemora o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), o principal objetivo das ações é obrigar órgãos públicos a dar mais agilidade aos processos de regularização das terras. Também devem ser expedidas quatro recomendações para instituições públicas.. Em 1988, no Artigo 68 dos ...

Ler post