1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

Roldão Arruda é jornalista e repórter da editoria de política do Estadão. Dedica-se sobretudo à cobertura de temas relacionados a direitos humanos e questões de movimentos sociais. Já trabalhou nos jornais Movimento e Folha de S. Paulo e na revista Veja. É autor do livro 'Dias de Ira'.
domingo 31/03/13 19:25

Novo desafio do Brasil Sem Miséria é abrir portas de inclusão econômica para famílias pobres, segundo ministra

Tereza244

A presidente Dilma Rousseff tem duas metas imediatas na área social. A primeira é a localização de 700 mil famílias muito pobres que ainda estão fora do Cadastro Único, para incluí-las no guarda-chuva de programas de transferência de renda, como o Bolsa Família. Quando isso ocorrer, vai poder dizer que nenhuma família no Brasil vive abaixo da linha da miséria. A segunda é mais ambiciosa. Trata-se da criação de oportunidades para que as famílias beneficiadas por esses programas, em ...

Ler post
sábado 30/03/13 17:10

Pregação de Feliciano é “racista”, afirma pastor e teólogo

gondim544

A permanência do pastor Marco Feliciano no cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara desgasta a imagem do mundo evangélico no País, provoca constrangimentos e rejeições. A  atitude mais lúcida diante do impasse seria a renúncia imediata. Quem faz essas afirmações é o também pastor evangélico Ricardo Gondim, teólogo, mestre em ciências das religião e líder da Igreja Betesda. Na entrevista abaixo, ele também critica as declarações feitas por Feliciano de que ...

Ler post
quarta-feira 27/03/13 17:44

Romário e Ivo Herzog vão à CBF, contra Marin

Na segunda-feira, 1º de abril, o deputado Romário (PSB-RJ), vai acompanhar Ivo Herzog em sua visita à sede da Confederação Brasileira de Futebol, no Rio. Na ocasião, devem entregar à direção da entidade a petição, com 54 mil assinaturas, que exige a saída de José Maria Marin do cargo de presidente, em decorrência suas ligações com a ditadura militar, entre 1964 e 1985. Ivo Herzog é filho do jornalista Vladimir Herzog, que foi assassinado em 1975, ...

Ler post
terça-feira 26/03/13 20:59

Unifesp também terá sua Comissão da Verdade

Unifesp244

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) vai criar a sua própria Comissão da Verdade. O objetivo é apurar eventuais casos de professores, alunos e funcionários que tenham sido perseguidos pela ditadura militar, entre 1964 e 1985.

“Queremos conhecer a verdade sobre aquele período e, se houver necessidade, fazer as devidas reparações históricas”, diz a reitora Soraya Smaili. “Os estudantes precisam saber o que a ditadura representou para aquela geração e sobre a importância de suas lutas para a democracia. Como já se disse, é preciso lembrar, para que não se repita mais.”

O trabalho da comissão irá focalizar o que ocorreu na Escola Paulista de Medicina (EPM) – o embrião da Unifesp. Um dos casos mais notórios de perseguição política em sua história foi o de Marcos Lindemberg, diretor da instituição entre 1959 e 1963.

Naquela época, sob o governo do presidente João Goulart, a EPM já era tratada como núcleo formador da futura universidade. Lindenberg foi nomeado reitor em 1962 e deu logo início à missão de implantar um projeto universitário nos moldes da recém-criada Universidade Nacional de Brasília (UnB), com ênfase em currículos interdisciplinares.

O processo causava polêmica na EPM. Parte do corpo docente se opunha à expansão da escola, com a criação de novas faculdades e a ampliação do campus para cidades do ABC Paulista.

O impasse teve um desfecho dramático com o golpe de 1964 e a deposição de Goulart. Os militares que assumiram o poder extinguiram o projeto da universidade e, após a realização de um inquérito policial militar (IPM), aposentaram compulsoriamente Lindemberg, que hoje dá nome ao anfiteatro da universidade.

Além de Lindemberg, a comissão deve analisar outros casos de perseguidos políticos. É provável que o levantamento acabe apontando nomes de professores que depuseram contra o reitor no IPM.

O anúncio público da criação da comissão foi feito pela própria reitora, durante uma audiência pública da Comissão Nacional da Verdade e da Comissão Estadual Rubens Paiva, na segunda-feira (25), em São Paulo. Na mesa de autoridades convidadas encontrava-se Eleonora Menicucci, ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, professora da Unifesp e ex-presa política.

Acompanhe o blog pelo Twitter – @Roarruda

 

 

Ler post
sexta-feira 22/03/13 21:19

ONG quer explicações de Telhada na Comissão da Verdade

telhada544

O projeto de lei apresentado pelo vereador paulistano Coronel Telhada, propondo a concessão da Salva de Prata da Câmara para a Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar) está provocando reações em organizações de defesa de direitos humanos. O que chamou a atenção dessas organizações foi o texto que o vereador apresentou para justificar a honraria. Ao lembrar fatos do "passado heroico" da Rota, ele mencionou suas campanhas contra grupos guerrilheiros que se levantaram contra a ditadura militar. Citou especialmente os seguidores de ...

Ler post
quarta-feira 20/03/13 21:12

“Feliciano é o porta-voz do retrocesso”, diz Jean Wyllys

wyllys244c

Em oposição à presença do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, parlamentares de vários partidos lançaram nesta quarta-feira, 20, uma frente parlamentar em defesa dos Direitos Humanos. Um de seus articuladores foi o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que tem se destacado no Congresso em defesa da igualdade direitos entre homossexuais e heterossexuais e dos direitos reprodutivos das mulheres. Na entrevista abaixo, Wyllys fala da polêmica envolvendo o pastor Feliciano, sobre a luta ...

Ler post
quinta-feira 14/03/13 19:15

Romário pede ajuda à Comissão da Verdade no caso Marin

romário544

O presidente da Comissão de Turismo e Desporto, deputado Romário (PSB-RJ) pediu ajuda à Comissão Nacional da Verdade para esclarecer as suspeitas de envolvimento do atual presidente da CBF, José Maria Marin, com a ditadura militar. O pedido foi feito publicamente nesta quinta-feira, 14, durante discurso na Câmara. Romário também anunciou que vai realizar uma audiência pública para analisar o caso do jornalista Vladimir Herzog. Filiado ao Partido Comunista Brasileiro, ele trabalhava na TV Cultura e foi morto ...

Ler post
quarta-feira 13/03/13 20:38

Marin usa site da CBF para se defender no caso Herzog

O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, resolveu utilizar o site da instituição para se defender de uma acusação política contra ele. Quem acessa o site da CBF depara, na página de abertura, com a manchete: Desmascarando Uma Falsidade. Trata-se do título de um editorial produzido para refutar as acusações de que Marin teria apoiado a ditadura militar quando era deputado estadual de São Paulo, ainda filiado à extinta Arena. De maneira mais específica, ele é ...

Ler post
sábado 09/03/13 14:02

Após 37 anos, sai novo atestado de óbito de Herzog

Na sexta-feira, dia 15, a Comissão Nacional da Verdade entregará oficialmente à família de Vladimir Herzog o novo atestado de óbito do jornalista assassinado em 1975. De acordo com a versão oficial divulgada na época, Herzog teria cometido suicídio no DOI-Codi de São Paulo, onde se encontrava detido. Mais tarde ficou provado que foi morto por agentes de Estado que atuavam na repressão política. A família sempre reivindicou a mudança no atestado de óbito. Recorreu à Justiça, com o apoio da ...

Ler post