1. Usuário
Assine o Estadão
assine
quarta-feira 05/06/13 09:19

Senadores sabatinam indicado de Dilma para o STF

Lilian Venturini e Ricardo Brito A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado sabatina na manhã desta quarta-feira, 5, o advogado Luís Roberto Barroso, indicado ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) pela presidente Dilma Rousseff. Para ocupar a vaga na Corte, Barroso precisa ter sua indicação aprovada pelo colegiado e

Ler post
terça-feira 05/03/13 16:20

Presidente do STF diz para repórter do ‘Estado’ ir ‘chafurdar no lixo’

BRASÍLIA – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, chamou de “palhaço” e mandou “chafurdar no lixo” o repórter do Estado. O ministro irritou-se ao ser abordado nesta terça-feira, 5,  na saída da sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ouça o que o presidente do STF disse ao repórter do Estado Os

Ler post
quarta-feira 19/12/12 13:27

STF pode decidir prisão imediata de réus condenados no mensalão

O Estado de S. Paulo O Supremo Tribunal Federal (STF) pode decidir nesta quarta-feira, 19, se os réus condenados no julgamento do mensalão serão presos imediatamente ou não. O tema chegou a ser abordado na última sessão do julgamento, mas o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, retirou o pedido afirmando que gostaria de fundamentar melhor

Ler post
segunda-feira 17/12/12 13:50

STF decreta a perda de mandato de parlamentares e encerra julgamento do mensalão

O Estado de S. Paulo  Após quatro meses e meio, o Supremo Tribunal Federal concluiu nesta segunda-feira, 17, o julgamento do mensalão. O último ponto que faltava ser decidido era a perda de mandato dos deputados federais condenados pelo esquema. O ministro Celso de Mello se manifestou favoravelmente à perda dos mandatos, encerrando o debate

Ler post
quarta-feira 05/12/12 09:36

STF decide não reduzir penas de condenados no mensalão

O Estado de S. Paulo O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira, 5, que os crimes cometidos pelos condenados pelo mensalão não se enquadram na tese da continuidade delitiva e, portanto, as penas não serão revistas. Apenas os ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio de Mello defenderam o uso da regra do crime continuado.

Ler post