Há 50 anos, Lacerda era empossado no Estado da Guanabara
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Há 50 anos, Lacerda era empossado no Estado da Guanabara

Jennifer Gonzales

05 Dezembro 2010 | 14h37

Rose Saconi/Arquivo Estado

Documento

  •    PDF

Clique sobre a imagem para ver toda a capa da edição de 5 de dezembro de 1960

Num ambiente alegre e festivo, o primeiro governador do recém-criado Estado da Guanabara, Carlos Lacerda, tomava posse há 50 anos, no dia 5 de dezembro de 1960. “O Estado da Guanabara não tolerará em seu território o comunismo, nem sob a forma aberta e franca de outrora, que chega ao assassinato e ao terror, nem sob a forma atual, que disfarça de nacionalista e pacifista para conspirar contra o Brasil. Os comunistas são irrecuperáveis para a democracia”, falou Lacerda em seu primeiro pronunciamento.

Uma foto do primeiro governador eleito assinando o termo de posse, no Palácio da Guanabara, foi publicada no Estado, estampada em duas colunas, na última página do jornal (naquela época a capa dedicava-se apenas ao noticiário internacional; e na última eram dadas as principais notícias do Brasil). 

Em clima de festa as pessoas saíram de casa e muitos se aglomeraram nas ruas e ocuparam o jardim e o Palácio da Guanabara para acompanharem a cerimônia de posse e a chegada de Carlos Lacerda. Aviões da Aeronáutica fizeram acrobacias no céu. As escolas de samba cariocas também participaram das comemorações. A primeira a chegar foi a Escola de Samba Unidos de Bangu.

Bastidores. A reportagem do Estado acompanhou toda a movimentação no Palácio Tiradentes. Logo depois que Carlos Lacerda chegou à sala da presidência falou baixinho a alguns dos presentes “Ao entrar agora nesta câmara estou me lembrando de certas coisas….”Em apenas cinco minutos fumou quatro cigarros. Depois de receber o diploma de governador todos os deputados constituintes conseguiram abraçá-lo, menos o deputado Miécimo da Silva, do Partido Social Popular (PSP).

  A íntegra do discurso também foi publicada pelo Estado. As últimas palavras do discurso de Carlos Lacerda foram: “Vamos trabalhar”.  Ao falar sobre a criação da Secretaria do Bem-Estar Social, o novo governador mencionou o estudo sociológico sobre as favelas, reportagem que circulou em caderno especial no Estado em abril de 1960, e anunciou o nome do orientador da pesquisa, José Arthur Rios, como o titular da nova pasta.

 Lacerda também cumprimentou os paulistas pela vitória que deram ao candidato Jânio Quadros, da UDN, que tinha Milton Campos como vice.

 Biografia. Carlos Frederico Werneck nasceu no Rio de Janeiro em 1914. Passou toda a infância em Laranjeiras. Na Faculdade de Direito foi eleito presidente do Diretório Acadêmico. Como jornalista trabalhou no Diário de Notícias, Diários Associados, O Jornal, Diário Carioca e Correio da Manhã.

Em 1945 foi eleito vereador com uma votação superior a 36.400 votos. Fundou o jornal Tribuna da Imprensa em 1949, veículo de comunicação que foi o principal porta-voz da oposição durante o segundo governo do presidente Getúlio Vargas. Também liderou uma campanha contra o jornal Última Hora, de Samuel Weiner, acusando-o de ter se beneficiado de um empréstimo fraudulento do Banco do Brasil para colocar o seu maquinário em funcionamento. Os ataques a Getúlio passaram a ser diários em seu jornal e ele passou para a história brasileira como o pivô do atentado que provocou o suicídio do presidente Getúlio, em agosto de 1954.

Lacerda morreu em 21 de maio de 1977.