1. Usuário
Assine o Estadão
assine
quarta-feira 30/04/14 22:53

Oposição diz que vai recorrer à Justiça contra pronunciamento de Dilma

Caio Junqueira e Marcelo de Moraes  Brasília - A oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff reagiu na noite desta quarta-feira, 30, ao pronunciamento da presidente Dilma Rousseff em cadeia nacional de rádio e televisão e assegurou que questionará a fala no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por considerar que se tratou de campanha eleitoral antecipada. O vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), afirmou que o departamento jurídico do partido "certamente" acionará o TSE. "A primeira conclusão é que é necessário ...

Ler post
quarta-feira 30/04/14 20:29

Na TV, Dilma ataca a oposição e anuncia correção na tabela do Imposto de Renda e reajuste no Bolsa Família

dilmarep600

João Domingos e João Villaverde    Em queda nas pesquisas de intenção de voto, a presidente Dilma Rousseff aproveitou o Dia do Trabalho para anunciar, na noite desta quarta-feira, 30, em cadeia nacional de rádio e TV, medidas como correção da tabela do Imposto de Renda em 4,5%, reajuste de 10% do Bolsa Família para todos os 36 milhões de beneficiários e destacar a “luta pelo emprego e pela renda” do governo pela continuidade da “política de valorização do salário ...

Ler post
quarta-feira 30/04/14 18:20

Aécio culpa distorção e agora diz que medidas econômicas não serão ‘necessariamente amargas’

aeciopedrovenceslau600

Pedro Venceslau e Gustavo Porto    Ribeirão Preto - Para contemporizar com a Força Sindical e as centrais sindicais que receberão Aécio Neves (PSDB) no evento para comemorar do dia trabalho, nesta quinta feira,1, o senador disse após visitar a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), na tarde desta quarta-feira, 30, que as medidas que tomará em eventual governo do PSDB "não serão necessariamente amargas". Para ele, houve "uma certa distorção" no que disse recentemente durante encontro com empresários em São Paulo, quando falou ...

Ler post
quarta-feira 30/04/14 09:32

Perdas com Pasadena podem ser revistas, diz Graça Foster

O Estado de S. Paulo

A presidente da Petrobrás, Graça Foster, participou nesta quarta-feira, 30, de audiência em comissão da Câmara para prestar esclarecimentos sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA. A negociação, realizada em 2006, é investigada por órgãos de controlo em razão de suspeitas de irregularidades no negócio.  Aos deputados, Graça disse que as perdas com a compra da refinaria podem ser revistas “total” ou apenas “parcialmente”.

Há duas semanas, Graça deu explicações sobre o caso a senadores. Na ocasião, afirmou que a compra da refinaria não foi “bom negócio”. A unidade de Pasadena custou à estatal US$ 1,249 bilhão e teria custado à sócia belga US$ 42,5 milhões. A negociação foi aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobrás, à época presidido pela presidente Dilma Rousseff, então ministra do governo Lula.

O caso voltou à tona em março, quando o Estado revelou que Dilma deu aval à compra. A presidente, no entanto, afirmou que sua decisão foi tomada com base em um relatório “falho e incompleto”. A Petrobrás vem repetindo que o negócio era vantajoso na ocasião, mas tornou-se um “empreendimento de baixo retorno”. A estatal nega que a sócia Astra Oil tenha pago apenas US$ 42,5 milhões e sustenta que o valor foi de aproximadamente US$ 360 milhões, pago um ano antes.

Abaixo, os principais momentos sessão:

14h49 - É encerrada a audiência pública com a presidente da Petrobrás, Graça Foster.

14h47 - Graça Foster: “A Petrobrás não investe para ter resultado negativo”. “A ansiedade para fazermos Pasadena melhor existe”, complementou. Segundo Graça, a comissão interna da estatal está apurando a negociação para saber se houve falhas e eventuais prejuízos à Petrobrás. “É meu dever vir aqui explicar o dia a dia da companhia.”

14h38 - Acabaram as perguntas dos deputados. Graça terá cerca de 15 minutos para suas considerações finais, abordando as últimas questões feitas.

14h35 - Durante a audiência, Foster foi questionada sobre a compra da refinaria Okinawa, no Japão. “Okinawa é um hub diferente. O valor foi menor porque não dá para acompanhar comparar com Pasadena. Demos baixa contábil em Pasadena em 2008, não temos a baixa contábil em Okinawa, que está na nossa pauta de desinvestimento” afirmou. “Mas até o final do ano pretendemos manter essas refinarias”, acrescentou.

14h11 - Os deputados estão na última rodada de perguntas. A presidência da comissão informou que pretende concluir a sessão às 14h30. Parlamentares da base saem em defesa da estatal e afirmam que a oposição usa o caso com motivação eleitoral.

14h - Graça evita comentar CPI em audiência de ‘bate-bocas’. Leia a reportagem completa.

13h32 - Graça Foster: “Votei favoravelmente à compra dos 50% restantes de Pasadena porque era um fato consumado”.

13h23 - Parlamentares fazem novo bloco de perguntas. Insistem em saber por que Nestor Cerveró só foi demitido seis anos depois da formalização do negócio e perguntam sobre a Operação Lava Jato da Polícia Federal (que prendeu um ex-diretor da estatal). Graça começa a responder.

12h33 - Sobre a CPI da Petrobrás: “Não posso comentar [a instalação da comissão]. Como presidente da Petrobrás tenho dever de atendê-los.”

12h21 - Aos deputados, Graça afirmou que não esconde as quedas na produção registradas pela estatal. A presidente falou novamente sobre a ausência das cláusulas contratuais no resumo apresentado ao Conselho de Administração: “As cláusulas Put Option e Marlin são individualmente importantes”. “Causa um grande incômodo não saber que teríamos que comprar os outros 50% [da refinaria da sócia belga".

12h13 - Graça falou sobre sua relação com o ex-diretor Nestor Cerveró. Dilma atribuiu a ele a autoria do resumo técnico "falho". "Não posso responder por que Cerveró não foi demitido [à época].

12h07 – Graça Foster afirma que, olhando a negociação com as informações que se têm atualmente, não se pode afirmar que a compra de Pasadena foi um bom negócio. Enfatizou, no enanto, que na época (em 2005 e 2006) a refinaria se mostrava como um negócio “potencialmente bom”.

11h47 - Graça Foster: “No resumo não constavam as cláusulas de Put Option e Marlim. Put Option ainda é comum, é de absoluta relevância porque precifica saída do sócio. Não se falou que poderia ser feita a aquisição dos 50% restantes das ações”, afirmou aos deputados. Neste momento, os deputados apresentam suas perguntas. A presidente da estatal vai responder em blocos, ou seja, a cinco parlamentares fazem suas questões e Graça responde em sequência.

11h22 - Graça Foster encerra sua fala inicial. Ela praticamente abordou os mesmos tópicos já apresentados durante seu depoimento no Senado. Agora os deputados farão perguntas à presidente.

10h57 - A presidente da Petrobrás repetiu que o resumo técnico sobre a negociação da refinaria de Pasadena não apresentava duas cláusulas contratuais, a Put Option, que obrigava a empresa brasileira a comprar a parte da sócia belga Astra Oil em caso de desacordo em investimentos, e a Marlim, que garantia um repasse mínimo aos belgas mesmo que a refinaria não tivesse lucro.

10h35 - Graça Foster começa sua fala. A exemplo do que fez no Senado, há duas semanas, faz uma apresentação dos planos de negócio da Petrobrás nos anos anteriores à compra de Pasadena, em 2006. Havia uma orientação, de acordo com os estudos da estatal do fim dos anos 90, para fazer investimentos externos.

10h20 - Começa a sessão da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara. Graça Foster terá 40 minutos para fazer uma explicação inicial.

Ler post
terça-feira 29/04/14 23:36

Conselho de Ética aprova abertura do processo de Vargas

andre vargas conselho de etica - arte

Erich Decat Brasília - O Conselho de Ética da Câmara aprovou ontem a abertura do processo disciplinar contra o deputado licenciado André Vargas (sem partido-PR). Uma primeira tentativa de votação ocorreu no meio da tarde, mas foi anulada pois, na ocasião, já havia começado a ordem do dia. Segundo o regimento, qualquer votação nas comissões é anulada se já forem iniciadas as atividades no plenário. A segunda e definitiva votação teve 13 votos a favor e nenhum contrário ao parecer apresentado pelo ...

Ler post
terça-feira 29/04/14 23:28

Oposição diz haver privilégio para Dirceu; já comissão, não

Eduaro Brasciani  Deputados da oposição que visitaram ontem o ex-ministro José Dirceu no Presídio da Papuda, em Brasília, afirmaram que ele tem uma cela privilegiada. Segundo relatos, o petista estava vendo o jogo de futebol entre Real Madrid e Bayern de Munique em uma TV de plasma quando os parlamentares chegaram. O local onde ele está preso teria chuveiro quente e um espaço bem maior que o de outros detentos. Integrantes da Comissão de Direitos Humanos, porém, minimizaram as diferenças e disseram ...

Ler post
terça-feira 29/04/14 22:26

Ministra denuncia ‘intolerância’ no debate sobre liberdade

Em encontro no Rio sobre comunicação e mercado, Cármen Lúcia critica condutas que ‘buscam tutelar a sociedade’   Luciana Nunes Leal Rio - A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, disse nesta terça-feira, 29, que há no País “uma intolerância enorme para tudo o que seja diferente” e que “não adianta querer ser livre e abrir mão de pensar”. Diante de uma plateia de professores e alunos do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec), no Rio, a ministra advertiu: “Temos um Estado ...

Ler post
terça-feira 29/04/14 22:14

Padilha interpela Vargas por citar seu nome em trocas de mensagens com doleiro

Ricardo Galhardo   O ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, formalizou nesta terça-feira, 29, uma interpelação judicial contra o deputado André Vargas (sem partido-PR). O advogado Marcelo Nobre, que representa o ex-ministro, solicita que Vargas esclareça uma troca de mensagens com o doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato da Polícia Federal, na qual o deputado diz que Padilha indicava um ex-assessor como executivo da Labogen, laboratório usado pelo doleiro que tentou amealhar R$ ...

Ler post
terça-feira 29/04/14 20:58

Prévia de programa do PT expõe pressão por crescimento

Diretrizes serão discutidas em encontro do partido na sexta-feira e no sábado; documento associa adversários a ‘politicas privatistas’ Vera Rosa  Brasília - Com o argumento de que não basta reeleger Dilma Rousseff, um documento produzido pelo PT, com diretrizes para o programa de governo da presidente, cobra um "crescimento mais acelerado" da economia num eventual segundo mandato, mas diz não haver "soluções mágicas" e muito menos "homens providenciais" para enfrentar o desafio dos próximos anos. Sem citar o senador Aécio Neves (PSDB) e ...

Ler post