O Imparcial: Oposição apresenta proposta de governo durante seminário

Redação

23 Maio 2012 | 19h20

Por O Imparcial

Os quatro pré-candidatos a prefeito que defendem candidatura única dos partidos da oposição ao prefeito João Castelo (PSDB) e a governadora Roseana Sarney (PMDB) se reuniram na manhã de ontem no auditório da Assembléia Legislativa para realizar o seminário “São Luís, outros 400”. Os postulantes apresentaram propostas para a cidade e reafirmaram o interesse de unir os partidos na eleição deste ano.O grupo formado por PCdoB, PTC, PP, PPS, PSB, PDT, PRTB, PPL e PHS pretende escolher o nome do candidato até o dia 10 de junho.

O primeiro passo para a definição do nome já foi dado. Os partidos solicitaram uma pesquisa quantitativa para cada pré-candidato. Os dados foram coletados entre os dias 18 e 20. O resultado deve ser entregue nesta quarta-feira aos partidos. Na sexta-feira (25) os números serão apresentados durante reunião com os pré-candidatos Edivaldo Holanda Júnior (PTC), Tadeu Palácio (PP), Eliziane Gama (PPS) e Roberto Rocha (PSB). O tema em discussão será justamente o resultado das pesquisas, mas o debate não deve selar um nome para a eleição.

A intenção é aproveitar a aliança pré-estabelecida pelas legendas e utilizar o maior tempo possível para a campanha eleitoral. Os critérios para a definição do candidato foram informados pelo deputado licenciado Rubens Júnior (PCdoB) durante o seminário de ontem. O parlamentar junto com outros membros do Diretório municipal do PCdoB está coordenando as reuniões do grupo.

O comunista explicou que o primeiro crivo será escolher um candidato que reúna o apoio popular e para isso serão realizadas pesquisas internas de caráter quantitativo e qualitativo. O segundo ponto em discussão é a definição o espaço dos aliados dentro de uma possível estrutura de governo e pensar as legendas para além de 2012. O terceiro e último critério será a confecção de um programa de propostas concretas para a cidade em conjunto com as demais siglas.

Propostas

Durante o seminário de ontem, os pré-candidatos ensaiaram propostas para a cidade e alguns adotaram um tom de campanha como o ex-prefeito e presidente municipal do PP, Tadeu Palácio. “Dois verbos vão decidir as eleições em São Luís: mudar ou continuar. Quem estiver satisfeito com a situação atual continuará, mas quem quiser algo diferente deverá votar na mudança”, declarou. O progressista reafirmou que está pronto para acatar a decisão do grupo sobre quem for escolhido para ser candidato.

O deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC) foi outro pré-candidato que defendeu em seu discurso a inclinação para o cargo. “Precisamos moderniza a máquina pública e fazer com que esteja aberta ao diálogo com a população, união de moradores e empresários. Essa capacidade eu tenho e os vereadores sabem disso”, afirmou. Assim como os demais pré-candidatos, defendeu melhorias em várias áreas que considerou precárias na administração municipal.

Entre os pontos comuns discutidos no seminário está a implantação de escolas destinadas à educação em tempo integral. A deputada Eliziane Gama defendeu a proposta argumentando que as crianças e adolescentes teriam um preparo melhor para buscarem o acesso à universidade e que a medida reduziria a evasão escolar. “O PPS é um partido que se preocupa com a pessoa humana é por isso que estamos percorrendo as feiras, os sindicatos, as escolas com o Fala São Luís, para saber dos asseios da população e construir um plano de governo a partir desta contribuição”, afirmou a única candidata do grupo de oposição.

O pré-candidato e presidente do Diretório municipal do PSB, Roberto Rocha, reconheceu a dificuldade em concretizar a aliança e falou sobre a metropolização. “Espero que tenhamos capacidade de construir até o final o que desejamos”, disse. Ele ressaltou que a maior instituição do município é a prefeitura, e que será necessário criar uma proposta tanto no executivo quanto no legislativo para um desenvolvimento metropolitano.

Além dos pré-candidatos a prefeito, também foi aberto espaço para a manifestação de pré-candidatos a vereador de cada um dos partidos. O seminário foi mediado pelo deputado estadual Bira do Pindaré (PT). Apesar do PT não integrar o rol de aliados do campo defendido pelos partidos, o parlamentar foi convidado para mediar o evento por ter participado das discussões e ter se colocada em defesa da aliança caso fosse o candidato.